Respeito às mulheres

Nesta quarta-feira (22) o Paraná reflete sobre o Dia Estadual de Combate ao Feminicídio. A data é proposital, pois foi quando a advogada Tatiane Spitzner foi encontrada morta após cair do 4º andar do prédio em que morava na cidade de Guarapuava, onde câmeras de segurança registraram o marido dela, Luís Felipe Manvailer, agredindo a esposa antes da queda.

O objetivo desta data vai além de se instituir um dia de conscientização, mas sim ampliar o debate sobre os crimes dessa natureza em todo o Estado do Paraná, onde ainda é grande o número de casos desta natureza. Importante frisar que o assassinato de mulheres em razão do gênero passou a ser considerado homicídio qualificado e crime hediondo em 2015.

Em Toledo a realidade não é muito diferente, embora nos últimos anos tenha sido feito um esforço muito grande no sentido de conscientizar a população sobre a importância deste trabalho preventivo. A Secretaria de Políticas para Mulheres, que antes era vista apenas como um braço ideológico para algumas situações, passou a atuar de forma mais contundente através de projetos, palestras, encontros e ações práticas que efetivamente buscam reduzir a agressividade em relação às mulheres.

Além disso, também se buscou a valorização da mulher e não o fortalecimento de um discurso sobre empoderamento que em nada acrescenta ao debate sobre o papel da mulher dentro da sociedade. O ser humano precisa ser respeitado em sua totalidade, independentemente de sua condição de sexo, cor, raça, credo ou condição econômica.

E hoje é um dia a mais para ampliar essa discussão ao se lembrar de um caso que daqui a pouco poderia sim cair no esquecimento não fosse o empenho de mulheres dispostas a enfrentar uma sociedade ainda machista, arcaica e preconceituosa, onde o sexo feminino segue sendo visto como um objeto, como algo a ser possuído de qualquer maneira.

Não é possível mais tolerar este tipo de pensamento ou as chacotas tão ridiculamente machistas que são espalhadas em todos os cantos como fosse algo normal, natural. Nesta quarta, para comemorar um ano da aprovação da lei, será colocada uma cruz gigante na Usina de Conhecimento, no Parque Ecológico Diva Paim Barth. Um ato simbólico, mas de extrema importância para lembrar que Toledo é uma das raras cidades entre os 399 municípios do Paraná a ter uma secretaria específica para pensar em ações para as mulheres. E quem pensa em desmontar essa pasta, de certa forma, contribui para manter esse status quo de violência contra as mulheres paranaenses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *