Superávit

0 865

Nesta segunda-feira (15), o secretário da Fazenda, Jadyr Cláudio Donin, apresentou aos seus pares os resultados financeiros e orçamentários referentes ao exercício 2023, que apontaram para um superávit de R$ 205,698 milhões em 31 de dezembro do ano passado nas contas da Prefeitura de Toledo. O prefeito Beto Lunitti, claro, comemorou o equilíbrio financeiro que, como os dois mesmos fizeram questão de destacar no encontro, não significa que a cidade “dorme em berço esplêndido”, pegando a expressão usada na entrevista coletiva, quando os números foram apresentados na íntegra.

Além do superávit, chamam a atenção o investimento em saúde, que saltou de 26,27% em 2020 para 31,02% do orçamento ano passado. Já na educação índice saiu de 25,01% para 26,20%. O gasto com pessoal fechou 2023, de acordo com os dados apresentados com 46,28%, o que aparentemente significa estarem as contas em dia. Neste número talvez não estejam computadas férias acumuladas de servidores, como aconteceu por sinal na primeira gestão do atual prefeito, que culminou no pagamento de valores astronômicos a alguns servidores, entre eles ocupantes de cargos de confiança.

De acordo com o chefe do Executivo, o bom resultado surpreende pelo fato de as contas de 2023 terem ficado ‘no vermelho’ até outubro. “As medidas que adotamos e a vinda de recursos possibilitou que, a partir de então, a situação se equilibrasse. Graças à nossa articulação enquanto prefeitura, mas também da Amop [Associação dos Municípios do Oeste do Paraná], AMP [Associação dos Municípios do Paraná] e CNM [Confederação Nacional dos Municípios] no Congresso Nacional e junto ao governo federal, bem como à sensibilidade do Governo do Estado, houve nos últimos meses aportes importantes, incluído aí o proveniente da renovação de contrato com a Sanepar [Companhia de Saneamento do Paraná], com os quais foi possível terminar ‘no azul’ o ano passado”, relata, conforme material oficial divulgado neste início de semana.

Os bons números soam como um alento e ao mesmo tempo uma preocupação, isso porque as contas estavam no ‘vermelho’ até quase a reta final de 2023 e foram ‘salvas’ por aportes consideráveis dos governos, tanto do Estado quanto Federal. Uma espécie de devolução de tudo aquilo que Toledo produz e entrega a estes dois agentes. Mas até quando será possível ficar esperando o milagre acontecer?

Deixe um comentário