TOC, informação e respeito

Organização por cores; obsessões por números pares ou por estudos; manter a casa sempre limpa; sentir-se incomodado com as calçadas com cores branco e preto. As atitudes são diversas e apesar de, aparentemente, serem consideradas simples, elas podem interferir na qualidade de vida de uma pessoa.

Há quem acredita que são semelhantes, porém o Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC) e Mania agem de maneiras diferentes. As manias são comportamentos repetitivos, gerados por crenças ou superstições. Elas até ajudam a organizar a rotina. O TOC tende a ser mais conflituoso.

As ideias ou os comportamentos perturbam e consomem tempo da vida do cidadão, tanto ocupacional quanto social. A pessoa com TOC passa a viver situações desafiadoras e, muitas vezes, angustiantes. Ela sofre com seus sintomas. Em um grande número de casos, precisam executar comportamentos repetitivos, chamados também de rituais, para impedir que algo ruim aconteça.

Existe quem consiga contornar a situação, porém outras precisam de mais ajuda e elas buscam o apoio de um profissional especializado. Também é importante o apoio dos familiares, dos amigos e da sociedade como um todo.

A compreensão dos familiares, que determinadas atitudes não são propositais, e o simples fato de os amigos não realizarem brincadeiras, já colabora com todo o processo do tratamento.

Falta a conscientização da sociedade no sentido de conhecimento. A partir do momento que a informação começar a ser disponibilizada, será possível elaborar melhores estratégias para a saúde pública ou quem sabe mudar o comportamento de ‘amigos corneteiros’.

Falar de TOC não é fácil. O Transtorno Obsessivo-Compulsivo ainda é considerado banalizado pelas pessoas. Porém, existe a necessidade de uma mudança de comportamento. O ‘zuar’ não é legal! Ele pode entristecer quem luta contra o Transtorno Obsessivo-Compulsivo. Sim, é uma luta, pois a pessoa com TOC tenta realizar a ação contrária que a sua mente pede e nem sempre ela consegue. Por sua vez, quando tem êxito, o fato pode desencadear outras sensações, como a ansiedade.

A incompreensão da sociedade acerca do Transtorno Obsessivo-Compulsivo e o constrangimento sentido pela pessoa portadora provocam dificuldades para falar sobre esse tema. O JORNAL DO OESTE na edição deste final de semana traz um especial sobre TOC x Mania, pois o conhecimento é uma maneira de difundir a conscientização. Sobretudo, despertar no público a necessidade de colocar-se no lugar do outro e, principalmente, ter empatia pelo próximo. Nós somos responsáveis pelos nossos atos, pelas nossas palavras e pelas nossas atitudes; portanto, respeite o seu semelhante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *