Você tem sede e fome de quê?

“A gente não quer só comida; a gente quer comida, diversão e arte. A gente não quer só comida; a gente quer saída para qualquer parte”; trecho da música Comida, gravada pelo grupo Titãs. Nesta canção, a letra remete sobre qual é a necessidade física e psicológica do ser humano. Quais são os alimentos ou as bebidas essenciais para a nossa alma? Do que o cidadão tem ‘sede’ e ‘fome’? De conhecimento? De novas aprendizagens? De leitura?

Já dizia o poeta Carlos Drummond de Andrade: “a leitura é uma fonte inesgotável de prazer; por incrível que pareça, a quase totalidade, não sente esta sede”. Pesquisas mostram que a leitura auxilia no desenvolvimento do cérebro e permite o cidadão modelar a sua percepção diante de sua comunidade e, por consequência, colaborar com o meio em que vive.

A leitura é uma ferramenta importante no processo de aprendizagem em qualquer faixa etária. Estimular crianças a ter o gosto pelos livros é uma missão importante de pais e professores. Para o filósofo brasileiro Paulo Freire, a leitura deve ser um ato de amor. Cada criança, adolescente ou adulto deve ter ‘fome’ e querer ‘devorar’ boas histórias ou deve ter ‘sede’ em buscar algo novo.

Em Toledo, os integrantes do Instituto de Pessoas Melhores tentam matar a ‘sede’ e a ‘fome’ da comunidade. Buscando criar uma sociedade mais igualitária, a entidade acredita que a leitura é o meio para encontrar a solução para muitos problemas, sejam eles em bairros ou em grupos menores. A leitura é uma peça importante para o crescimento e a construção do senso crítico.

Em sua segunda edição, o Instituto de Pessoas Melhores realiza a divulgação do Concurso Leitura, Conhecimento e Liberdade. A primeira edição aconteceu em 2019 e contou com a participação de professores e estudantes. Em 2020, com novidades, as famílias são convidadas a participar do Concurso, além dos estudantes.

A obra a ser apreciada pelo público é ‘Professor não é Educador’, do professor aposentado Armindo Moreira. O livro contém um texto variado e vibrante, com tópicos de curta extensão, indo da crônica ao relato pessoal e à avaliação crítica. É uma obra que pode ser amada ou odiada. Ela pode matar a sua ‘fome’; sua ‘sede’ ou não!

Todos estão convidados para fazer a leitura deste obra ou de outra de sua preferência. O essencial é ‘alimentar’ e ‘hidratar’ sua alma com uma leitura que te proporcione o prazer ou que te faça sair de um pensamento cômodo, que intrigue ou cause questionamentos. Afinal: “bebida é agua; comida é pasto. Você tem sede de quê? Você tem fome de quê?”, assim diz a canção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *