Mauro Picini – Moda & Estilo – 23/01/2024

0 28

Mitos e verdades sobre secadores e pranchas com óleos essenciais

O secador bivolt Marula, uma das estrelas da linha Óleos Essenciais da GA.MA ITALY

Quem nunca sonhou em usar secador ou prancha diariamente sem que isso danifique as madeixas? Agora isso é possível graças à tecnologia de óleos essenciais disponíveis nas pranchas e secadores que acabam de ser lançados pela GA.MA Italy.
Os óleos essenciais oferecem proteção e brilho para todos os tipos de cabelo, além de hidratação, restauração, reconstrução e nutrição. Mas, assim como tantas novas tecnologias logo que são lançadas, é natural que as consumidoras tenham dúvidas sobre como funcionam exatamente os produtos. Confira abaixo mitos e verdades sobre o tema.
Secadores e pranchas com a tecnologia de óleos essenciais têm validade determinada. Mito! Os benefícios continuam durante todo o tempo de vida útil do aparelho. É que as micropartículas de óleos essenciais aplicadas na grade frontal dos secadores e nos patins da prancha são termoativados. Conforme o aparelho é ligado, o calor abre as cutículas dos fios e libera os óleos essenciais, que penetram profundamente no interior dos fios, oferecendo benefícios como proteção e brilho, entre outros.
Aparelhos com óleos essenciais são capazes de tratar os fios. Verdade! Os secadores e pranchas desenvolvidos com a tecnologia dos óleos essenciais transferem os benefícios dos compostos ativos para o cabelo, quando aquecidos. Hoje, já existem tecnologias com óleos essenciais de babosa e macadâmia, que promovem hidratação; argan, que ajuda na reconstrução; lichia, que promove a nutrição; e marula, que auxilia na restauração dos fios.
Os produtos trazem diferentes benefícios aos cabelos. Verdade! Cada secador e prancha traz as propriedades dos óleos que carregam. O óleo de argan, por exemplo, promove hidratação, brilho intenso e nutrição profunda. Ele ajuda a prevenir o envelhecimento precoce dos fios e protege contra os efeitos negativos do calor. Já a combinação de babosa e macadâmia é ótima para a hidratação, além de deixar os fios mais sedosos, fortalecidos e manter o brilho natural dos cabelos. Já o óleo de marula evita danos nos cabelos quimicamente coloridos. Além disso, o ativo também ajuda a manter a hidratação e reduzir a aparência de pontas duplas. E por fim, o óleo de lichia auxilia na manutenção da nutrição, fortalecendo os cabelos, além de contribuir para a proteção dos fios contra a agressão de processos químicos, como descoloração, escovas progressivas e tingimentos.
O óleo só é transferido pelo contato dos fios com o aparelho. Mito! Os ativos são acionados pelo calor. Por isso, só são transferidos quando os aparelhos são ligados. Porém, não é necessário encostar o secador no cabelo para que o óleo seja transferido. A maneira correta de realizar a secagem, como se faz habitualmente, é manter o aparelho com cerca de quinze centímetros de distância dos fios. Basta secar normalmente e o efeito acontecerá!
Os aparelhos também oferecem proteção para o cabelo. Verdade! Os óleos essenciais fazem com que os produtos entreguem mais benefícios que um secador convencional. Eles carregam vitaminas, antioxidantes e agentes umidificadores. Existem secadores e pranchas com óleos essenciais de babosa, argan, marula e lichia. Basta escolher qual é o ideal para seu tipo de cabelo. É importante ressaltar que o uso de leave-in e protetores térmicos continuam sendo recomendáveis, já que essa tecnologia veio para somar e não substituir.
Sobre a GA.MA Italy: em 1969, em Bolonha, na Itália, Mario Gardini criou a primeira prancha profissional do mundo. O produto foi coroado de sucesso e, assim, surgiu a GA.MA Italy, que leva as iniciais de seu nome. Sempre com uma proposta arrojada, a GA.MA Italy conquistou a liderança mundial no mercado de eletro beleza, oferecendo produtos de alta performance desenvolvidos com tecnologias inovadoras, que entregam autocuidado e proteção aos cabelos. Há mais de vinte anos a marca vem se desenvolvendo no Brasil, onde comercializa pranchas, secadores, modeladores, escovas secadoras, escovas rotativas e máquinas de corte e acabamento. Atualmente, está presente em 42 países e conta com um portfólio completo de produtos, proporcionando experiências que fazem com que a marca seja sinônimo de inovação, qualidade e confiança. Por isso tudo, a GA.MA Italy é a marca escolhida por profissionais da área de beleza e pelos consumidores mais exigentes. Para saber mais, acesse www.gamaitaly.com.br

Amadurecer não é tão difícil como muitos pintam

Pela lei, uma pessoa se torna adulta ao completar 18 anos. Biologicamente é o indivíduo que chegou ao ápice do seu crescimento e funções biológicas. No entanto, ser adulto também está ligado a questões emocionais, intelectuais e sociais. Por isso, muitas vezes, jovens não se sentem efetivamente adultos. Um estudo australiano de 2018, publicado na revista científica Lancet Child & Adolescent Health, afirmou que a adolescência iria até os 24 anos.
Já um grupo de cientistas da área de neurologia da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, apontou em 2019 que as pessoas não se tornam completamente “adultas” até chegarem à casa dos 30 anos. No geral, pesquisadores avaliam que a sensação de sentido de uma vida adulta também está associada a aspectos culturais e sociais de cada geração. Enquanto é mais comum para a geração Z e os millennials maior tempo dedicado aos estudos, gerações anteriores tiveram que se deparar com o mercado de trabalho mais cedo.
O Dia do Adulto foi no dia 15 de janeiro e a psicóloga Julia Penna, que atende no centro clínico do Órion Complex, em Goiânia, concorda com os resultados apontados pelos estudos sobre a saída tardia dessas gerações da casa dos pais. “Isto está ocorrendo pelo aumento de anos de estudo, inserções profissionais mais tardias e instáveis em um mercado de trabalho mais exigente, investimento na formação profissional prolongada e pela flexibilização de negociação nas relações familiares. Antigamente, os pais eram mais repressores e davam pouca liberdade para os filhos, o que fazia com que sair de casa fosse um ato de independência. Hoje, há uma negociação muito maior entre pais e os filhos adultos jovens, o que possibilita eles terem mais autonomia mesmo morando com os genitores”.

AMADURECIMENTO – Contudo, a especialista ressalta que os jovens não precisam se alienar sobre uma eterna juventude mesmo morando com os pais. “Os filhos podem iniciar um processo de amadurecimento se ingressarem no mundo profissional, se responsabilizarem por tarefas em relação à casa e manterem relações consistentes fora dela também. No entanto, este amadurecimento não será tão completo quanto quando ao sair de casa, ter independência financeira e se responsabilizar de forma plena por suas contas e vida. Este amadurecimento também ocorre em seu relacionamento amoroso quando a pessoa vai dividir a casa com outra, convivem mais intensamente precisam lidar com seus problemas e questões a sós”.
É comum os mais experientes ressaltarem para os mais novos que crescer dói, devido as realidades que a vida adulta impõe, como contas a pagar, trabalho e montar uma família. Porém, Julia Penna destaca que reforçar só os pontos negativos de se tornar adulto não ajuda. “Pode prejudicar o jovem a sair de casa se ele vê a adultez só como negativa, especialmente nos tempos atuais, em que os jovens adultos têm muito mais liberdade na casa dos pais e sair representa muito mais ir em direção ao desconforto, de poder passar dificuldades e/ou por limites financeiros maiores, de ter mais obrigações e tarefas. Isto tudo pode fazer com que o jovem adie essa saída”.

O Dia do Adulto foi no dia 15 de janeiro e sair da casa dos pais é um bom passo para o amadurecimento /Freepik

NÃO É TÃO DIFÍCIL – Contudo, a psicóloga afirma que é possível auxiliar os jovens adultos a enfrentar a vida como ela é. “Pode-se fazer isso ressaltando os pontos positivos da saída da casa dos pais, como ter autonomia ainda maior em como a sua própria casa é organizada, como as coisas são feitas, ao que se tem, em relação às atividades que se deseja fazer. Falando sobre como ter seu próprio lugar traz mais liberdade e um maior desenvolvimento pessoal”, diz.
Julia Penna ainda salienta que ser adulto não é tão difícil como muitos imaginam. “Ser adulto tem ônus e bônus, como tudo na vida. Tem muito mais responsabilidades, exigências e desafios. O que pode também trazer mais preocupações, mas também tem a parte muito boa de trazer mais autonomia, independência, um grau muito maior de poder de escolha sobre a própria vida, amadurecimento, desenvolvimento e evolução pessoal”, ressalta.

Deixe um comentário