Mauro Picini Moda & Estilo 25/08/2020

Aprenda como se comportar nas videoconferências durante a pandemia

A videoconferência ganhou ainda mais destaque com a pandemia, as empresas modificaram o jeito de trabalhar e adotaram o home office, por conta disso, as reuniões e entrevistas online se tornaram cada vez mais constante e assim surge a dúvida, como se comportar na chamada de vídeo em casa? Muita gente tem receio e medo de falar em frente às câmeras, para ajudar as pessoas que tem esse problema a idealizadora do Clube da Fala e fonoaudióloga, Laila Wajntraub, explica como devemos agir neste momento.
“Ao olharmos um vídeo que gravamos, é possível avaliar alguns vícios de linguagem e expressões não favoráveis” adianta Laila.

– Escreva as ideias em um papel (para treinar antes)
É de extrema importância adotar técnicas que ajudem a melhorar a desenvoltura em frente às câmeras e escrever o que será falado pode ser de grande ajuda para organizar o pensamento e todo o conteúdo que será falado, separe por temas e buscas por palavras-chave. Faça um primeiro rascunho e vá aperfeiçoando até que fique de forma objetiva e clara. Leve em consideração o tempo do vídeo.

– Cuide da aparência
Você precisa cuidar da sua aparência e escolher as suas roupas de acordo com a imagem que deseja passar, é importante que estejam passadas e limpas, com um bom caimento e que dialoguem com o conteúdo do vídeo, não é necessário que sejam roupas de marcas. Vista-se de maneira confortável, tenha cuidado acessórios extravagantes e com a maquiagem pesada, os cabelos precisam estar bem penteados e a barba aparada. Lembre-se que o seu vídeo pode ser visualizado por muitas pessoas e a sua aparência pode afetar positiva ou negativamente.

– Escolha seu melhor perfil
Estar de frente às câmeras exige uma boa apresentação, faça testes se auto fotografando e filmando para identificar o seu melhor ângulo e assim explorá-lo na hora de aparecer.

– Atente-se à postura
Preste bastante atenção na postura, independente de gravar o vídeo sentado ou em pé, os ombros devem estar alinhados e a coluna ereta e a cabeça não deve fica nem muito para trás e nem para frente. Evite gesticular muito, balançar demais a cabeça ou mexer nos cabelos todo o tempo, pois esses movimentos desviam a atenção do espectador.

– Melhore o enquadramento
Ninguém gosta de assistir vídeos desalinhados ou tortos, faça testes para estabelecer o melhor posicionamento. Para quem precisar utilizar um flipchart posicione a câmera mais na lateral para dar espaço para acrescentar as informações que deseja.

– Capriche na iluminação
Gravar o vídeo ou realizar videoconferências em locais escuros é extremamente prejudicial para a conexão com quem está assistindo, priorize a iluminação. Se não tiver como arcar com os custos para este investimento, é possível reverter a iluminação com um ponto que tenha iluminação natural. Um vídeo claro deixa quem está assistindo mais confortável.

– Não olhe para baixo
Olhar para baixo ou para os lados são ações prejudiciais para obter uma conexão com o seu público, quando você desvia o olhar as chances de perder a confiança das pessoas é grande, além de demonstrar falta de domínio no assunto falado.

– Fixe o olhar
Fixando o seu olhar para a lente da câmera dá impressão de que você olha nos olhos do espectador. O ideal é desviar o olhar apenas para fazer algo explicativo e quando quiser chamar a atenção novamente, fixe o olhar. Vale lembrar, você deve olhar para a lente, nunca para a tela.

– Controle o tom de voz
Fale da maneira em que está acostumado a falar, adequando o tom de voz ao volume do vídeo, não “crie” uma voz nova para impressionar. Não grite ou fale com pressa ou seja agitado, as palavras devem ser ditas de forma clara e objetiva. Fale com energia e dê ênfase para os tópicos importantes da sua fala, para que o espectador não fique entediado e pare de assisti-lo.

– Use a linguagem adequada
Identifique qual o seu público alvo e fale de acordo com esse público, avalie a faixa etária e cuidado com o uso de gírias, jargões e termos muito técnicos.

– Seja o mais natural possível
A naturalidade precisa ser passada pelas câmeras, não seja “robótico” ou faça leituras de roteiros, seja você mesmo, se inspire em outros profissionais, mas passe o seu conteúdo e do seu jeito.

 

4 passos para uma pele jovem e saudável

A pele é um órgão essencial de proteção contra agentes externos, como os microorganismos, raios solares e poluição. É certo que cada vez mais as pessoas buscam manter a pele jovem e saudável, sem aparentar os terríveis danos causados pelo tempo e hábitos de uma vida intensa. Para que seja possível contornar essa situação, primeiro é necessário entender como a nossa pele envelhece.  
Existem dois tipos de envelhecimento, o intrínseco, aquele que ocorre de dentro para fora, ou seja, não temos como escapar, pois, este está associado a idade, determinado principalmente pelos fatores genéticos de cada pessoa. Com o passar do tempo, nosso organismo vai perdendo a capacidade de renovação celular, perdemos as fibras de sustentação da pele que desempenham um importante papel na elasticidade, resistência e tônus, resultando no aparecimento da flacidez, linhas de expressão e pele cada vez mais fina.
O segundo tipo é chamado de envelhecimento extrínseco, e neste caso, ocorre de fora para dentro, associado ao estilo de vida. Alguns fatores externos podem causar danos a nossa pele e contribuir para o envelhecimento precoce, como o alcoolismo e o tabagismo, radiação solar, poluição, alimentação desequilibrada e movimentos de expressão repetitivos. 
O mercado da beleza e cuidados pessoais do Brasil ocupa a posição de quarto maior mercado do mundo, com crescimento de 24,5% entre os anos de 2013 a 2018, de acordo com os dados da Associação da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec). A indústria dos cosméticos busca intensamente trazer soluções para contornar os danos causados a pele, apostando em ativos inovadores que prometem minimizar ou até mesmo reverter os danos já causados. O mercado da beleza que gira em torno das clínicas de estética também possui muitos recursos para tratar peles já danificadas pelos fatores intrínsecos e extrínsecos.   
Mas você pode começar hoje mesmo a cuidar da sua pele em casa, inserindo apenas quatro passos simples na sua rotina de beleza diária. 
1º Passo Limpeza: a higienização é o passo mais importante de uma rotina de cuidados, isso porque ao longo do dia, nossa pele fica exposta a diversos tipos de impurezas e sujidades, como a maquiagem, poluição e células mortas. Se não retiramos essas impurezas da nossa pele elas irão obstruir os poros, deixando a nossa pele mais suscetível a oleosidade, cravos e acne. Para uma boa higienização é importante usar sabonetes apropriados para o seu tipo de pele. Também devemos lembrar de não lavar o rosto em excesso, o ideal é apenas duas vezes ao dia, muitas lavagens podem acabar desencadeando o famoso efeito rebote onde a pele tende a produzir mais oleosidade para proteger a pele. 
2º Passo Tonificação: a tonificação deve ocorrer após a limpeza da pele, sua função é retirar as impurezas que não saíram na lavagem e também restabelecer o pH da pele que pode sofrer alterações ao longo do dia, o tônico também deve ser escolhido de acordo com o tipo de pele e pode ser substituído pela água micelar, este passo além de finalizar a limpeza e conferir equilíbrio a pele também irá prepará-la para receber os demais tratamentos, pois desobstrui os poros facilitando a penetração de ativos.
3º Passo Hidratação: quando a pele está desidratada ela possui um aspecto feio e quebradiço, os hidratantes ajudam a pele a absorver a água do ambiente e através da oclusão formam um filme protetor retendo a água do organismo. Hidratar a pele traz inúmeros benefícios, evitando o envelhecimento precoce e devolvendo viço, maciez e luminosidade à pele, além de atuarem contra danos causados pelo frio, exposição ao sol, uso de produtos agressivos à pele como os esfoliantes e exposição a água quente utilizada no banho. 
4º Passo Fotoproteção: sem dúvidas o maior vilão do envelhecimento é a ação dos raios solares, os raios UVA e UVB, que penetram na pele e causam o fotoenvelhecimento, podendo causar manchas e até mesmo o câncer de pele. Além de passar o protetor solar adequado ao seu tipo de pele é necessário reaplicá-lo ao longo do dia, os especialistas ainda alertam sobre os danos que podem ser causados pela luz visível, aquela emitida através de lâmpadas fluorescente e telas de computadores e televisões, neste caso é indicado o uso de filtro solar com cor que ajudam a disfarçar as imperfeições e ainda protegem contra a radiação solar e a luz visível. 
Com estes quatro cuidados básicos realizados de forma regular e contínua, é possível obter uma pele saudável e bonita.
 
Autores:
Patrícia Rondon Gallina é farmacêutica esteta, professora do curso de Farmácia do Centro Universitário Internacional Uninter
Vinícius Bednarczuk de Oliveira é coordenador do curso de Farmácia e de Práticas Integrativas e Complementares do Centro Universitário Internacional Uninter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *