Mauro Picini Programe-se 13/05/2022

Coro Serprati homenageia colaboradoras pelo Dia das Mães na Prati-Donaduzzi

É fato: o amor de mãe ultrapassa todas as barreiras. Podemos procurar adjetivos para descrever a nossa admiração pelas mulheres que se permitem gerar uma vida, ou aquelas que representam a figura materna, como avó, tia, irmã ou madrinha. Como uma forma de agradecer, o Coro Serprati prestou homenagem, na última sexta-feira (6) pelo Dia das Mães.
O Coro Serprati, formado por cerca de 23 integrantes, se apresentou na cafeteria da Prati-Donaduzzi. O repertório escolhido contou com músicas sobre o amor materno, e contagiou todos que estavam presentes. “Foi uma linda homenagem, eles sempre superam as expectativas, lembrei dos meus dois filhos”, diz Paula Valéria Vera de Andrade, que trabalha no setor de televendas.
De acordo com o maestro do Coro Serprati, Gerson Daniel Giese, a música tem o poder de alcançar a alma das pessoas, seja pela interpretação ou melodia. “Hoje foi um dia muito especial para todos que fazem parte do coral. É a primeira apresentação presencial depois da pandemia sem as máscaras e com o público aqui na empresa”, ressalta.
Katiane Schumacher trabalha há 9 anos no setor de saúde ocupacional da Prati-Donaduzzi e faz parte do Coro Serprati, ela conta que cada apresentação é uma experiência diferente. “A gente vive esse momento, nos colocamos no lugar das mães e de todos que estão assistindo. Elas merecem esse reconhecimento e carinho todos os dias por tudo que representam em nossas vidas”.
SOBRE A PRATI-DONADUZZI – A Prati-Donaduzzi, indústria farmacêutica 100% nacional, é especializada no desenvolvimento e produção de medicamentos. Com sede em Toledo, Oeste do Paraná, produz aproximadamente 13 bilhões de doses terapêuticas por ano e gera mais de 4,8 mil empregos. A indústria possui um dos maiores portfólios de medicamentos genéricos do Brasil e desde 2019 vem atuando na área de Prescrição Médica, sendo a primeira farmacêutica a produzir e comercializar o Canabidiol no Brasil.

Uniprime Pioneira promove Feirão do Automóvel

Para o adolescente, o carro é sinônimo de liberdade. Para uma família, um automóvel maior é sinônimo de comodidade. Para muitas pessoas, ele é o objeto que traz dinamismo a uma rotina agitada. Porém, mais do que um bem material, o carro carrega consigo muitos sentimentos: de sonho, de desejo e de conquista.
Pensando em facilitar o acesso a um carro novo, a Uniprime Pioneira promove, entre os dias 9 e 23 de maio, o Feirão do Automóvel. Diversas concessionárias foram convidadas a apresentarem diferentes modelos e condições aos cooperados. “São diversas opções que se encaixam nas necessidades e no estilo de vida do nosso cooperado”, anuncia o diretor comercial da Uniprime, Lúcio Scheuer.
Além disso, a cooperativa de crédito apresenta taxas especiais para financiamento, além do consórcio. “Sabemos que o brasileiro tem uma paixão muito grande por automóveis e no dia 13 de maio comemoramos o Dia do Automóvel, por isso, preparamos essa oportunidade para quem quer o seu primeiro carro ou para quem quer trocar por outro mais novo.”, reforça o diretor.
Em Toledo, o Feirão será realizado de sexta-feira (13) até segunda-feira (23), em frente à agência na Rua Souza Naves, 279, centro.Acesse o site da Uniprime e confira as marcas participantes bit.ly/uniprimefeiraoveiculos

7° Boletim de Conjuntura Econômica mostra que financiamentos imobiliários cresceram em Toledo

O Boletim de Conjuntura Econômica do Município de Toledo (PR), realizado entre parceria da Associação Comercial e Empresarial de Toledo (ACIT) e o Núcleo de Desenvolvimento Regional (NDR) da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) – campus Toledo, chegou a sua sétima edição.
Os textos e análises de cunho informativo, são direcionados aos cidadãos, empresários e gestores públicos. Os dados apresentados são de fontes oficiais e de organizações públicas e privadas.
Nesta edição, o Boletim traz informações sobre movimentação financeira nos bancos comerciais, imigração haitiana, produção leiteira, frustração de safra de verão, despesas com saúde e internações hospitalares, cesta básica de Toledo, entre outros assuntos.
Uma informação de destaque é que o saldo de financiamentos imobiliários no Oeste do Paraná apresentou uma variação percentual positiva de julho a dezembro de 2021. As maiores variações foram registradas em Foz do Iguaçu (5,32%), Palotina (4,56%) e Cascavel (3,95%). Em Toledo, os financiamentos imobiliários cresceram em 2,72%, apesar do aumento na taxa Selic de 4,25% (julho de 2021) para 9,25% (dezembro de 2021).
Sobre a imigração haitiana, o Boletim mostra que em 2019 estimava-se que havia mais de dois mil haitianos em Toledo, e ainda outros 300 imigrantes de outras nacionalidades, tais como senegaleses e nigerianos. Com essas pessoas no mercado de trabalho e se instalando de forma fixa na cidade de Toledo, em sua grande maioria, elas necessitam utilizar de sistemas bancários para recebimento de salários, movimentações, envio do dinheiro a seu país de origem, entre outros. A cooperativa Sicredi, do bairro Jardim Panorama registrou desde a abertura da agência (agosto/2021) um aumento de 61 aberturas de contas para pessoas de origem haitiana, representando 4% da carteira geral de associados.
Sobre a safra paranaense de 2021/2022, que foi fortemente atingida pela estiagem no período de desenvolvimento vegetativo das plantas, nos meses de novembro e dezembro, impondo perdas severas aos produtores, em especial na região Oeste do estado, o Boletim traz informações, que conforme o Departamento de Economia Rural (Deral), o estado sofreu perdas da ordem de 45% do volume de soja colhido, cerca de 10 milhões de toneladas. Mesmo com incremento na área destinada à soja das últimas três safras, cerca de 5,7 milhões de hectares, o estado produziu aproximadamente 11,6 milhões de toneladas, muito menos que na safra 2019/2020, quando colheu 20,7 milhões de toneladas de soja, principal grão produzido na safra de verão. (DERAL, 2021; 2022).
Outra informação que revela o tamanho da perturbação causada pela seca é a comparação do volume efetivamente colhido (11,6 milhões de toneladas de soja) com a estimativa de safra divulgada pelo DERAL no início da safra: cerca de 25 milhões de toneladas de grãos (cerca de 22 milhões de toneladas de soja).
Ao se calcular as perdas financeiras decorrentes da redução de safra, percebe-se que no estado deixou de circular valor próximo a R$ 30 bilhões de reais. Para fins ilustrativos, é como se cada paranaense deixasse de receber R$ 2700,00 reais nesta safra de verão.
Baixe o Boletim de Conjuntura Econômica do Município de Toledo – 7° edição pelo link https://acit.org.br/servicos/area-de-download