Mauro Picini – Sociedade e Saúde 06/12/2023

0 31

Com a conclusão da parte física do edifício, o hospital entra em uma nova fase de instalação dos equipamentos necessários para o pleno funcionamento da unidade hospitalar

Na noite de segunda-feira (27) o Grupo Allmayer realizou oficialmente a entrega das chaves do novo edifício que abrigará o Hospital Geral Unimed (HGU) em Marechal Cândido Rondon para a diretoria da Unimed Costa Oeste. A cerimônia simbólica foi realizada no hall de entrada da unidade hospitalar e reuniu diretores da cooperativa, empresários, autoridades e imprensa.
O Diretor Superintendente da Unimed Costa Oeste, Dr. Christian Floriano e Silva, comemorou a conclusão da etapa física do hospital e destacou a importância do novo HGU para a população de MCR e região. “É mais uma conquista deste sonho que estamos trilhando há pouco mais de dois anos e que representa um grande ganho para a medicina local. Um hospital completamente novo, planejado de forma mais adequada e dentro da legislação atual, que já nasce com uma característica moderna e inovadora tanto em estrutura física como em equipamentos, para repercutir em melhor atendimento às pessoas”, pontuou.
O diretor vice-presidente, Dr. Manoel Joaquim de Oliveira, compartilhou do mesmo sentimento de alegria e orgulho em contribuir. “É uma satisfação muito grande de poder participar de todo esse processo desde a primeira conversa, quando tudo ainda era um projeto”, frisou.
Segundo um dos proprietários do Grupo Allmayer, Beto Nierdemayer, o momento representa um marco na história de Marechal que necessitava de um empreendimento tão grandioso como o Hospital da Unimed. “Com a conclusão da etapa física é o momento em que entregamos a responsabilidade de término do hospital para a Unimed, que beneficiará a todos da cidade e região”, ressaltou.
O prefeito de Marechal Cândido Rondon, Marcio Rauber, destacou que o papel enquanto poder público era de desburocratizar e acelerar o processo do entorno do hospital para que a população seja beneficiada com a unidade hospitalar. “Um dia muito especial, de grande importância para a sociedade com a entrega desta bela obra para MCR e o Oeste do Paraná”, disse.

Equipamentos – Com a conclusão da parte física do edifício, o hospital entra em uma nova fase de instalação dos equipamentos necessários para o pleno funcionamento da unidade hospitalar. “Agora temos este período de instalação dos móveis e dos equipamentos – que são modernos e tecnológicos – e estruturação de toda rede de atendimento. “Está cada vez mais próximo de realizarmos a entrega do HGU à população para que todo mundo tenha o melhor atendimento possível, o atendimento Unimed”, justificou Dr. Christian.
Dr. Manoel destacou também sobre o conceito de humanização que será implantado no hospital. “Vamos entregar um hospital sem “cara” de hospital, com aquele ambiente pesado. Pelo contrário, o HGU contará com um conceito moderno e humanizado para atendimento de todos os pacientes. Estaremos em pleno funcionamento no primeiro trimestre de 2024”, concluiu.

Infraestrutura Tecnológica e Conforto – O novo Hospital da Unimed está projetado com uma arquitetura hospitalar de última geração, considerando sistemas avançados de ar condicionado, hidráulica, energia, gases medicinais e segurança contra incêndios, cumprindo rigorosos padrões regulatórios. O foco na segurança, conforto dos pacientes e atendimento humanizado reflete o compromisso com a excelência da Unimed Costa Oeste.
Para abrigar toda a estrutura, equipamentos e instalações, sobre um terreno de 13 mil metros quadrados, foram edificados aproximadamente 6 mil metros quadrados de obras civis, divididos em pavimento inferior, térreo, 1º e 2º pavimentos.
As instalações do hospital terão capacidade de até 34 leitos de internação modernos, com espaço para expansão no segundo pavimento. Além disso, o hospital oferecerá pronto-atendimento, atendimento ambulatorial, quatro salas de cirurgia, um centro de imagens, Núcleo de Atenção à Saúde (NAS), serviços de saúde ocupacional e áreas administrativas e comerciais. Na parte externa, o espaço contemplará um amplo estacionamento para 200 vagas destinadas ao público, além de 50 vagas reservadas para os colaboradores e corpo clínico. Em breve, será instalada também a fachada do hospital e todas as placas internas de identificação dos setores.
O HGU de Marechal Cândido Rondon inicialmente atenderá casos de baixa e média complexidade para beneficiários da Unimed e outros convênios com os quais estão em processo de acordo, além de particulares. O hospital irá operar inicialmente com plantão adulto 24 horas e poderá implantar o plantão pediátrico conforme a necessidade.

Contratações – Ainda não foi iniciado o processo de contratação dos profissionais que irão integrar a equipe do HGU em MCR. Quem tiver interesse pode cadastrar seu currículo no Portal Unimed (https://www.unimed.coop.br/site/web/costaoeste/trabalhe-conosco) e acompanhar pelo site e redes sociais da cooperativa as vagas abertas.

A habilidade indispensável de dizer “não”

*Davi Lago

Alguns aspectos da nossa vida admitem respostas aproximadas e caminhos intermediários. Mas isso não se aplica à ansiedade. Jesus disse que nossa resposta diante das preocupações deve ser um “não” absoluto, sem concessões. Afinal, ansiedade é algo que devemos compreender e tratar com sabedoria, mas saber abandoná-la de modo definitivo quando se trata de preocupações maléficas, é necessário saber dizer em alto e bom som: “Não!”.


A palavra “não” é um advérbio de negação, um dos termos mais básicos e concisos em qualquer idioma. Em português, é uma palavra monossilábica muito forte, apesar de tão pequena. Se aplicada com sabedoria, pode proibir a maldade, negar o que é falso e afastar o que é errado.
Podemos dizer “não” para expressar nossa oposição àquilo com o que não concordamos. É uma palavra tão poderosa que pode nos poupar sofrimentos desnecessários e promover a liberdade.
Algumas pessoas, no entanto, têm dificuldade de dizer “não”. Há ocasiões em que elas até têm uma resposta negativa na mente, mas acabam dizendo “sim” com a boca, pois procuram se adequar as supostas expectativas de terceiros. Importante destacar que também há pessoas que têm dificuldade de ouvir “não”, porque acreditam que isso está associado necessariamente a opressão, dominação e autoritarismo. Esse, porém, é um erro elementar, muitas vezes, fruto da imaturidade e do julgamento precipitado.
Determinados “nãos” são para nosso próprio bem. O escritor G. K. Chesterton mostrou-se muito sábio ao afirmar: “Nunca remova uma cerca, sem antes entender por que ela foi colocada lá”. Algumas cercas servem, por exemplo, para impedir crianças de caírem em fossas.
Assim, quando o ser humano atravessa um “não” que é para seu próprio bem, pode se ferir fatalmente de modo desnecessário. Quem tem dificuldades de dizer e ouvir esta pequena palavra acaba vivendo de modo inseguro, frustrado, inquieto e ansioso.
Jesus, então, ensinou que ansiedade se combate com “nãos”. No entanto, os “nãos” de Jesus não são aleatórios, eles têm um propósito e estão alinhados a uma orientação específica: dizer “sim” para Deus. Não se trata, portanto, de um simples “não pelo não”, que exalta nosso orgulho, mas de um “não” com uma finalidade bem definida.

*Davi Lago é escritor best-seller e professor; seu mais recente livro,
“Além da Ansiedade” foi publicado pela Editora Vida

Deixe um comentário