Mauro Picini Turismo 17/09/2020

Hotéis celebram ocupação, tímida, no feriado, mas revelam preocupação com o futuro

A rede hoteleira de Foz do Iguaçu registrou sinais tímidos de movimento de turistas, mesmo durante o feriadão da Independência. Projeção feita pelo Sindhotéis apontou ocupação média de 30% no feriado prolongado. 
Os resorts e hotéis de lazer registraram um movimento razoável, diante da atual situação, mas os hotéis pequenos e médios ficaram praticamente sem ocupação ou com números muito insignificantes. 
É preciso celebrar essa retomada, assevera Neuso Rafagnin, presidente do Sindhotéis, “mas devemos lembrar que estamos há mais de 180 dias sem movimento, e comparada a outros anos nossa ocupação ficou muito aquém de atender ao mínimo desejado”. 
O presidente do Sindhotéis reconhece e agradece a campanha que está sendo desenvolvida pela Itaipu Binacional. “Sem essa iniciativa teríamos números ainda menores e estaríamos caminhando para a insolvência de muitas empresas do setor”, salienta.
Mas ao mesmo tempo o dirigente chama a atenção para que outras ações sejam implementadas para assegurar movimentação nos meses que restam neste ano e para o primeiro semestre de 2021. “Se não houver ações concretas, teremos graves problemas, inclusive demissões, pois as empresas do setor já não têm mais reservas para suportar os gastos”, pondera. 
Neuso Rafagnin manifesta ainda sua preocupação com os novos decretos de fechamento do centro e em alguns bairros. 

Os resorts e hotéis de lazer registraram um movimento razoável,  mas os hotéis pequenos e médios ficaram praticamente sem ocupação

 

Lembra que os mais prejudicados são os restaurantes, que novamente sofrem com a redução de horário de funcionamento. Segundo ele, fica impossível administrar uma empresa com esse vai e vem de bloqueios e autorização para funcionamento.
“Como fica um restaurante que está com funcionários e despensa abastecida, geralmente de produtos perecíveis, com sete ou dez dias de fechamento? Como se pode administrar um negócio com essa insegurança que assola o setor desde o mês de março e, pelo visto, não tem data para terminar?”, questiona.
Neuso lembra que muitos restaurantes e lanchonetes estão em vias de fechar as portas definitivamente e que se medidas não forem adotadas a gastronomia de Foz sofrerá um baque profundo. “Vamos realizar uma pesquisa consolidada pós-feriado, mas de antemão podemos dizer que a ocupação foi baixa se comparada com outros períodos e variou muito entre os estabelecimentos”, antecipa. 
O drama dos meios de hospedagem e gastronomia aumenta agora. Sem feriadão, o movimento retorna a índices baixíssimos, abaixo de 10%.  Um índice nada sustentável para manter as portas abertas. “Registramos no feriado os primeiros resultados da campanha da Itaipu Binacional, mas precisamos intensificar a promoção do turismo doméstico para atrair visitantes ao Destino Iguaçu”, conclui o presidente do Sindhotéis. 

Presidente do Sindhotéis, Neuso Rafagnin

 

Festival das Cataratas: Fórum de Turismo anuncia vencedores da edição

Um verdadeiro recorte nacional sobre a produção científica no turismo e áreas correlatas. Assim foi a 14ª edição do Fórum Internacional de Turismo do Iguassu, evento complementar do Festival das Cataratas, que pela primeira vez foi realizado totalmente on-line entre 9 e 11 de setembro.
Nesta sexta-feira (11) foram anunciados os melhores artigos científicos, resumos expandidos e relatos de experiência desta edição, que contou com 125 trabalhos aprovados, que representaram 27 universidades de 11 estados brasileiros. A programação ainda contou com mesas temáticas que puderam ser acompanhadas gratuitamente pelas redes sociais do Fórum.
A Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) foi a instituição com o maior número de trabalhos submetidos (14), seguida pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), com 13, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), com 11, e da Universidade Federal do Paraná (UFPR), com 10.
De acordo com o idealizador e coordenador do Festival das Cataratas, Paulo Angeli, o evento foi considerado um sucesso. “Já é o maior evento técnico-científico do turismo do Brasil e cada vez se destaca mais pela qualidade dos trabalhos apresentados, que mais uma vez estavam espetaculares”, disse durante o encerramento do evento.
O presidente da comissão organizadora do Fórum, Francisco Antonio dos Anjos, da UNIVALI, destacou que o Fórum vem se fortalecendo a cada ano e que mesmo em tempos de pandemia se mostrou de grande relevância, seguindo a linha de eventos internacionais. “O Fórum se dispõe a ser um grande espaço de construção, ou seja, de ensino, de pesquisa e cada vez mais com o fortalecimento da extensão”.

Os vencedores
Na categoria Artigo Científico, venceram Elieti Fatima de Goveia, Vanessa Alberton e Diogo Luders Fernandes, da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro), com o trabalho “Conselho Municipal de Turismo de Irati: um Levantamento das Ações Desenvolvidas no Ano de 2019”. Em segundo lugar ficaram Elieti Fatima de Goveia, Vanessa Alberton e Diogo Luders Fernandes, da Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), com “Análise da Atividade Turística na Percepção dos Stakeholders: Uma Abordagem dos Recursos e Capacidades Dinâmicas”.
Entre os resumos expandidos, o melhor trabalho foi apresentado por Beathriz Defaveri Bieler, Anny Alinny Raimunda de Souza Lima e Marklea da Cunha Ferst, da Universidade do Estado do Amazonas (UEA). O tema foi “Hotelaria (D)eficiente e acessibilidade como diferencial de competitividade”. Na segunda colocação ficaram João Pedro Barbosa Alvarinho, Wynne Gonçalves Farias e Kaciano Barbosa Gadelha, da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), com “Turismo cultural e a militância Negra: Uma reflexão com base no videoclipe de Apeshit do The Carters”.
Já entre os relatos de experiência, o melhor avaliado foi “Projetos de extensão como transformadores da sociedade: relato de experiência dos alunos do Centro Universitário SENAC Campus Águas de São Pedro com a APAE São Pedro (SP)”, apresentado pelos estudantes Rute Machado Pedrosa, Nicholas Fernandes Teixeira, Fábio Leandro Bontorim Stoco e Gabriel Furlan Coletti, do Centro Universitário SENAC – Campus Águas Claras. Na mesma categoria, a segunda posição ficou com Joelma Monteiro de Carvalho, Rejane Gomes Ferreira e Rucian da Silva Vilácio , da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), com “Saberes e enfrentamento em tempo da COVID-19: relato de experiência extensionista na Associação de Mulheres Indígenas – AMISM – Manaus”.
O Fórum Internacional de Turismo do Iguassu é promovido pelo Instituto para o Desenvolvimento do Turismo, Cultura, Esporte e Meio Ambiente (Idestur), organizado pela De Angeli Eventos e Empreendimentos, em parceria com o Programa de Mestrado e Doutorado em Turismo e Hotelaria da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), com apoio da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) e diversas universidades e institutos brasileiros.

Programação do Festival das Cataratas continua em dezembro
Além do Fórum, a programação complementar do Festival das Cataratas contou esta semana com a realização da Rodada de Negócios do MICE Cataratas, promovida on-line em parceria com o Visit Iguassu, Sebrae PR e a Associação Brasileira de Empresas de Eventos (ABEOC-PR). Durante a ação, 44 compradores e fornecedores puderam interagir e se apresentar para o fechamento de futuras parcerias e negócios.
Nos dias 2, 3 e 4 de dezembro, o Festival continua com a já tradicional Feira de Turismo e Negócios. Informações sobre estandes disponíveis podem ser obtidas pelo pelo e-mail: [email protected] ou pelos telefones (45) 3029-6603 e (45) 99958-0025.

Festival das Cataratas
Fórum Internacional de Turismo do Iguassu – 9, 10 e 11 de setembro – on-line
Rodadas de Negócios MICE – 10 de setembro – on-line
Feira de Turismo e Negócios – 2, 3 e 4 de dezembro – presencial
Foz do Iguaçu – PR – BR 045 3029 6603 / 99975 2402

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *