Mauro Picini Turismo 18/06/2020

Programa Foz Juro Zero terá atendimento presencial e vai dispensar exigência de Serasa e SPC
Programa é uma parceria da Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu com a Fomento Paraná e o Sebrae-PR

Atendimento presencial garante maior facilidade para empreendedores

O programa Foz Juro Zero vai dispensar a consulta cadastral ao Serasa e ao SPC para análise das solicitações de crédito até o limite de R$ 6 mil. A medida deve facilitar acesso ao crédito para trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEIs) e microempresários (MEs), impactados pela crise da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). 
Outra novidade do programa será o atendimento presencial, a partir desta segunda-feira, 1º de junho, mediante agendamento pelo WhatsApp (045) 98423-3132, para entrega da documentação exigida para liberação do empréstimo. As mudanças foram anunciadas pela Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu, Sebrae-PR e Fomento Paraná, instituição parceira contratada para operacionalizar as linhas de crédito. 
“Com o atendimento presencial, esperamos resolver o problema da lentidão na análise dos cadastros, pois o envio da documentação por e-mail não estava se mostrando eficiente. Estamos com mais de mil propostas com documentação incompleta. No atendimento presencial, mediante agendamento por telefone, faremos a checagem dos documentos no ato e já encaminharemos a proposta para liberação da Fomento Paraná”, afirma o secretário de Turismo, Indústria, Comércio e Projetos Estratégicos, Gilmar Piolla.  
Por ser uma operação de crédito regulada pelo Banco Central, apesar de eliminar a consulta ao Serasa e SPC, alguns cadastros ainda poderão sofrer restrições, alerta o coordenador do Banco do Empreendedor, Volnei Lampert. 
Segundo ele, o tomador do empréstimo não pode ter pendências com a Fomento Paraná ou outra instituição financeira e não pode, ainda, estar inscrito no Cadastro de Inadimplentes – Cadin, da União e do governo estadual. Multas de trânsito e débitos com a Previdência Social ou Receita Federal podem inviabilizar a operação de crédito. Inadimplências provocadas pela crise da pandemia, como atrasos no pagamento das contas de água, energia e IPVA, serão desconsideradas. 

Atendimento presencial
Após agendamento pelo WhatsApp, o atendimento presencial será realizado de segunda à sexta, das 8h às 12h e das 14h às 18h na sede do Centro Integrado de Desenvolvimento Regional, da Associação Comercial e Industrial de Foz do Iguaçu (ACIFI), onde foi montada uma estrutura exclusiva, com maior comodidade, para quem procura o programa Foz Juro Zero. O endereço é Rua Padre Montoya, 490. 
Serão atendidas entre 80 e 100 pessoas por dia, seguindo os cuidados sanitários exigidos para evitar a disseminação da COVID-19. O uso de máscara é obrigatório, assim como as medidas de higienização das mãos e o distanciamento social. 
“ É muito importante que o interessado leve os documentos necessários de acordo com o tipo de crédito, pois assim conseguiremos dar andamento ao processo de liberação do crédito com maior agilidade”, reforça o consultor do Sebrae, Marcelo Padilha. 

Canal de dúvidas
As dúvidas podem ser sanadas de segunda à sexta, das 8h às 12 horas e das 14h às 18 horas, pelos seguintes números de WhatsApp: (045) 99985-0006  – (045) 99997-4848 – (045) 98423-3132 – (045) 98424-5844. 
A orientação é para que o empreendedor consulte o canal de dúvidas antes de agendar atendimento presencial. Cada pedido negado por pendência ou inconsistência na documentação significa um tempo gasto na análise, o que atrasa a avaliação de outros pedidos, gerando um tempo maior para a liberação dos recursos. 
Linhas de crédito
O programa Foz Juro Zero oferece três linhas de crédito para diferentes públicos: R$ 1.500,00 para trabalhadores informais; R$ 3.000,00 para MEis e microempresas com até 12 meses de fundação; e R$ 6.000,00 para MEIs e microempresas com mais de 12 meses de fundação. A carência é de 12 meses e o prazo de pagamento, de até 24 meses. Não é necessário avalista. A Prefeitura Municipal investirá R$ 3 milhões para bancar a taxa de juros.  

Acelera Foz
O Foz Juro Zero faz parte de uma série de ações do programa Acelera Foz, lançado neste mês, e que tem como objetivo recuperar a economia da cidade, abalada com impacto da pandemia. Fazem parte da iniciativa o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Foz do Iguaçu (Codefoz), Prefeitura Municipal, Itaipu Binacional, Parque Tecnológico Itaipu (PTI), Sebrae, Programa Oeste Desenvolvimento, Associação Comercial e Empresarial de Foz do Iguaçu (ACIFI) e Conselho Municipal de Turismo (Comtur), dentre outras instituições.

 

Compra local garante emprego e renda nas cidades da região
Campanha “Oeste compra Oeste” incentiva a circulação de dinheiro no comércio e serviços locais

Lideranças do Oeste durante lançamento da campanha Oeste compra Oeste

Incentivar a compra local de produtos e serviços para fazer o dinheiro circular na região, promovendo emprego e renda nas cidades. Fortalecer esse conceito  de desenvolvimento é o objetivo da campanha “Oeste compra Oeste”, lançada em webconferência nesta quarta-feira, 3, envolvendo  setor produtivo, sociedade civil organizada e poder público.
A ação pretende sensibilizar a população das 54 cidades da Região Oeste, estimada em mais de 1,3 milhão de habitantes, de que a compra local se reverte em oportunidades para a coletividade. Ao fortalecer a economia regional, são gerados tributos que resultam em políticas públicas, novos investimentos e postos de trabalho. 
“Oeste compra Oeste” é uma iniciativa do Programa Oeste em Desenvolvimento (POD), Sebrae Paraná, Associações dos Municípios do Oeste do Paraná (AMOP), Comitê Territorial dos Pequenos Negócios (CTPN), Coordenadoria das Associações Comerciais e Empresariais do Oeste do Paraná (Caciopar) e Garantioeste. 
“É uma campanha de engajamento. Queremos envolver toda a população em uma nova forma de pensar, entendendo que a compra local faz o dinheiro circular em nossa região e traz retorno para todos”, enfatiza a coordenadora do CTPN, Elisângela Rosa. “Passamos por uma crise, e cada um de nós tem condições de ajudar a superá-la.”  
Presidente do POD, Danilo Vendruscolo afirma que a ação fortalece o Oeste contra os efeitos da pandemia. “Vamos sair mais cedo desse problema do que outras regiões. Temos comércio, serviços, cooperativas e crédito fortes, e uma riqueza extraordinária de pessoas e instituições. Vamos motivar empresas e a comunidade para que o dinheiro circule e gere riquezas aqui na região”, reflete.

Valorizar o Oeste
Para ganhar força, a campanha “Oeste compra Oeste” propõe o envolvimento direto de prefeituras, associações comerciais, sindicatos, órgãos de classe, organizações da sociedade civil. O presidente da AMOP, Rineu Menoncin, ressalta que o programa atende às necessidades dos municípios e reforça a importância econômica do Oeste. 
“Precisamos ser mais bairristas, amar mais e vestir a camisa do Oeste pela importância da região para o estado e o Brasil”, sublinha. “Esse programa vem de encontro às necessidades dos municípios, que sofrem com a queda de arrecadação provocada pela pandemia. Abraçamos essa ideia e nos comprometemos em fomentá-la nas nossas 54 cidades”, frisa Rineu. 

Comércio forte é prosperidade
De acordo com o presidente da Caciopar, Alci Rotta Junior, as associações comerciais terão papel relevante para o alcance do objetivo da campanha “Oeste compra Oeste”. A entidade atuará junto a suas instituições associadas e aos consumidores para orientar e apoiar o envolvimento.
“Vamos mobilizar todas as forças que agem a favor do comércio local, disseminando a ideia e incorporando essa prática”, aponta Alci. “Comércio forte é sinônimo de oportunidade e prosperidade, além de engrenagem fundamental para o funcionamento da roda econômica nos nossos municípios”, defende. 

Rede de compra local
O gerente regional Oeste do Sebrae, Augusto Cesar Stein, reforça a necessidade de participação de empresários e empreendedores na iniciativa. Ele destaca que empresas que inovam e diversificam suas operações conseguem mitigar os efeitos causados pelo período de pandemia. 
“O empresário da região pode ajudar a disseminar o propósito e conceito da campanha criando uma rede junto a seus clientes e fornecedores, assim como nas instituições em que participa”, propõe Augusto. “Ele também pode comprar de outro empresário do Oeste. Esse sentimento de pertencimento é transformador”, avalia. 

Dinheiro mais “barato”
Presidente da Garantioeste, Edson Carollo salienta que, juntamente com o estímulo à compra local, empreendedores do Oeste podem obter crédito simplificado e a juros acessíveis para estimular a retomada econômica. Segundo ele, a garantidora que surgiu na região há 11 anos já fez mais de cinco mil operações, totalizando R$ 188 milhões. 
“Nosso papel é o de trazer dinheiro barato para a micro e pequena empresa”, acentua. “Com as instituições parceiras nas cidades do Oeste, prestamos orientação a quem pretende ter acesso a linhas de crédito. Esse dinheiro injetado nas empresas, por meio da garantidora, preserva postos de trabalhos na região”, conclui. 

Para participar da campanha
O material promocional da ação “Oeste compra Oeste” está disponível gratuitamente na internet, nos sites e mídias das entidades realizadoras. As peças podem ser personalizadas em cada cidade por prefeituras, instituições e empresas participantes. Nas redes sociais, a mobilização é marcada com #CompreDoOeste.
 
(Oeste compra Oeste)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *