ConectaPR gera experiências e novas parcerias no ecossistema de startups

0 265

O segundo dia do ConectaPR, realizado neste sábado (15) em Curitiba, trouxe à tona a diversidade de motivações que leva o público a participar do evento: desde os primeiros momentos da manhã, foi possível observar um grande número de participantes circulando pelos corredores, cada um com objetivos específicos e expectativas distintas.

Para muitos, a oportunidade de fazer networking é o principal atrativo. Empresários, empreendedores e profissionais de diversas áreas se reúnem para trocar experiências, formar parcerias e expandir suas redes de contatos. A atmosfera do evento, que registrou 1.518 inscritos, facilita encontros e a construção de relacionamentos que podem se transformar em colaborações frutíferas.

“O ConectaPR é oportunidade única para startups inovadoras. Aqui, ideias se transformam em conexões valiosas, abrindo portas para colaborações futuras e crescimento acelerado. Temos a convicção de que estamos consolidando e fortalecendo o ecossistema de inovação e empreendedorismo do Paraná”, resume o diretor de Administração e Finanças do Sebrae/PR, José Gava Neto.

Larissa Nonato, de Maringá, trabalha como advogada consultora jurídica para startups, destacando que essa área é bem diferente do direito empresarial tradicional. Ela atua em um ambiente de inovação e tecnologia, que é muito específico e nichado. Durante o ConectaPR, o foco dela é fazer networking. No primeiro dia, ela não assistiu às palestras, pois estava focada em fazer networking.

“É a minha segunda vez no evento. Estou gostando muito, fazendo muito networking e conhecendo muitos negócios diferentes. As empresas que estão aqui hoje são um pouco diferentes das do ano passado, o que é muito legal, a gente vai conhecendo cada vez mais pessoas e negócios. Está sendo muito bacana, estou aproveitando muito as palestras também”, destacou Larissa.

Thierre Lemos, de São José dos Pinhais, também está pelo segundo ano consecutivo do evento. Para ele, a busca por parceiros é o motivo da assiduidade de participação no evento. Thierre comenta que, na trajetória de sua empresa, a BTK Solutions, a participação neste tipo de evento foi fundamental.

“Estou buscando novos parceiros com quem possa colaborar no meu negócio. Temos alguns negócios já consolidados e também outros empreendimentos no grupo. Queremos ajudar outros parceiros que estejam precisando, e também estou procurando possíveis clientes”, afirmou.

Investimento

Outro grupo é composto por aqueles que buscam investidores. Startups e empreendedores em estágio inicial enxergam no ConectaPR uma plataforma ideal para apresentar suas ideias inovadoras e conquistar investidores. As mesas de negócios proporcionam a oportunidade de obter retorno valioso dos investidores e, quem sabe, garantir o financiamento necessário para alavancar seus negócios.

Andressa Stuart, de Curitiba, é proprietária da startup Kefi, que traz soluções para mulheres no climatério e menopausa. Ela já participou do evento em outros anos e buscou apoio do Sebrae/PR para soluções. Agora, com a startup em um estágio mais avançado, Andressa busca um investidor para sua empresa. Para isso, ela aproveitou o evento para participar do InvestingDay.

“Estivemos em uma mesa com investidores, e foi muito legal ouvir as teses deles e o que eles buscam. Acho que, principalmente, porque muitas vezes nós, como startup, ficamos tentando enquadrar a startup dentro da tese. E entender que o investidor valoriza quem está à frente da startup é um ponto chave. É muito legal ver isso dos investidores. Conseguimos entender que nós, que estamos à frente, somos mais importantes do que apenas o conceito da startup”, disse.

Palestras

As palestras oferecidas são uma outra atração. Com programação repleta de especialistas renomados, os participantes têm a chance de se atualizar sobre as últimas tendências do mercado, adquirir novos conhecimentos e se inspirar com histórias de sucesso e superação.

Daniela Gaio, de São Jorge d´Oeste, na região Sudoeste do Paraná, é empresária e trabalha com foco no empreendedorismo feminino. No ano passado, Daniela veio a Curitiba para participar da Feira do Empreendedor. Empolgada com o que viu na feira, decidiu vir pela primeira vez ao ConectaPR, na Capital.

“Como trabalho com produção de eventos, venho também para tirar insights e analisar a organização do evento, além de conhecer outras pessoas da área. Como empreendedora, por exemplo, hoje de manhã já estava em contato com algumas expositoras de outras regiões. Isso é muito importante para que possamos abrir nossos horizontes”, enfatizou Daniela.

Para Daniela, a palestra mais esperada aconteceu no primeiro dia do Evento, com a empresária e influencer Mari Maria.

“Quando ouvi sobre toda a programação, soube que tinha que vir. É incrível ver a história de superação dela. Ver uma pessoa que usou sua dificuldade para alcançar o maior sucesso na vida. Ela começou a partir de um trauma de infância e decidiu usar isso como sua força. Com certeza, hoje ela criou um império justamente porque utilizou sua principal dor para fazer dela sua maior força”, analisou.

IA da comunidade

Uma solução de compra e venda de produtos e serviços que conecta consumidores e vendedores de comunidades com o propósito de ativar a economia local. Esta é a Papoom, startup de Jean Pierre Pego, empreendedor de Curitiba, que ministrou uma palestra, durante o ConectaPR, com dois temas que parecem ser antagônicos, mas na verdade estão muito próximos: inteligência artificial e periferia.

Isto porque Jean nasceu na Comunidade Vila Torres, em Curitiba, e aproveitou o nicho para criar uma solução que impactasse os comerciantes locais.

“Nossa startup desenvolveu uma solução com inteligência artificial focada em comunidades de favelas. Trata-se de um assistente virtual que rastreia as compras realizadas por empreendedores locais. Ele identifica e segmenta os clientes, permitindo que o empreendedor saiba quem comprou no mês passado e não comprou este mês, quem comprou determinados tipos de produtos e quem tem um ticket médio mais elevado. Dessa forma, conseguimos fazer uma segmentação detalhada”, explica Jean.

Jean já tem uma empresa consolidada. Mas ele já passou por várias fases. Por isso, deixa uma dica para aqueles que estão começando agora na jornada do empreendedorismo.

“Acredito que, para ser empreendedor, é necessário ter uma grande resiliência. No meu ponto de vista, você pode ter o melhor dia da sua vida de manhã e o pior à noite. Isso envolve não apenas a gestão financeira, mas também o aspecto emocional. Além disso, investidores, parceiros e empresas estão todos focados em inteligência artificial. É importante pensar em como você pode, a partir do negócio ou da ideia que tem, incorporar a IA para tornar sua solução mais interessante e eficiente”, concluiu.

Deixe um comentário