Consulta pública da Política de Ciência, Tecnologia e Inovação recebeu 414 contribuições

0 148

A consulta pública para elaboração da Política Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (PECTI) teve a participação de 414 cidadãos, que registraram sugestões e escolheram temas para compor ações, programas e projetos para o Governo do Estado atuar nos próximos anos. Representantes de 46 cidades paranaenses, de todas as regiões do Estado, elegeram suas prioridades. Agora, elas serão consolidadas e integrarão o texto final a ser apresentado ao Conselho Paranaense de Ciência e Tecnologia (CCT).

A PECTI está em processo de elaboração nas secretarias estaduais da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e da Inovação, Modernização e Transformação Digital (SEI). Uma das etapas da elaboração da política foi a consulta pública direcionada para a ciência, tecnologia e inovação. Ela ficou aberta de 16 de outubro a 8 de dezembro.

Entre os eixos temáticos estão pesquisa científica, infraestrutura, inovação, empreendedorismo, transformação digital, fomento à cultura, internacionalização de negócios, integração entre setor acadêmico e empresarial, incentivos para cursos e formação.

A PECTI é um documento norteador que direcionará o planejamento da gestão estadual para as áreas de ciência, tecnologia e inovação. O governo estadual objetiva melhorar a qualidade de vida por meio de atividades voltadas para as necessidades da população, fortalecer os ambientes de negócios e promover o desenvolvimento social inclusivo.

A ação também estará alinhada aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU).

Para a assessora da Secretaria Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti), Erika Dmitruk, o resultado até o momento foi muito positivo. “Tivemos a participação de representantes de institutos de pesquisa e inovação públicos e privados, de setores da saúde, segurança pública, educação, incubadoras, aceleradores de empresas, startups e organizações da sociedade civil ligadas ao empreendedorismo científico e à qualidade de vida e meio ambiente”, afirmou.

“Consideramos a consulta um sucesso e vamos trabalhar com as contribuições recebidas para que no próximo ano tenhamos o documento completo consistente e à altura da confiança do setor”, complementou.

A próxima etapa do processo de elaboração contempla a apresentação, apreciação e aprovação pelos conselheiros do CCT, na primeira reunião de 2024, prevista para março.

Da AEN

Deixe um comentário