Governo destina R$ 14,4 milhões a bolsas de estudo para iniciação científica

O Governo do Estado, por meio da Fundação Araucária e da Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino (Seti), lançou três chamadas públicas de iniciação científica, tecnológica e de extensão universitária que disponibilizarão até três mil bolsas de estudo. O investimento é de R$ 14,4 milhões. 

“Este é um momento histórico. É um número expressivo de bolsas para atender a iniciação e a formação do pesquisador nas nossas universidades. Um processo que tem se revelado historicamente de grande relevância para que o Brasil se coloque na excelente posição que ocupa em termos de produtor de ciência”, destacou o superintendente geral de Ciência, Tecnologia e Ensino, Aldo Bona.  

O diretor de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior da Fundação Araucária, Luiz Márcio Spinosa, explicou que os programas de Bolsas de Iniciação Científica, Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBIC/PIBIT), Apoio à Inclusão Social, Pesquisa e Extensão Universitária (PIBIS) e de Bolsas de Extensão Universitária (PIBEX) fazem parte da construção estrutural de Novos Arranjos de Pesquisa e Inovação no Paraná (NAPI), que está sendo fomentada pela Araucária.

“O objetivo é a articulação mais intensa dos atores do Sistema Regional de Inovação do Paraná e a mobilização dos ativos reunidos no espaço paranaense em torno dos desafios ligados ao desenvolvimento do território”, disse.

Todos os programas financiarão bolsas no valor de R$ 400 mensais pelo período de até 12 meses. O PIBIT/PIBIC ofertará até 1.700 bolsas de estudo, com um investimento de até R$ 8,1 milhões. Os proponentes podem apresentar suas propostas até o dia 23 de junho.

O PIBIS ofertará até mil bolsas, com um investimento total de até R$ 4,4 milhões. O prazo para envio de propostas vai até o dia 21 de junho. O PIBEX terá 300 bolsas, totalizando um investimento de até R$ 1,4 milhão, aceitando submissão de propostas até o dia 18 de junho. 

Segundo o presidente da Fundação Araucária, Ramiro Wahrhaftig, estes programas preparam as novas gerações de pesquisadores. “O Paraná tem um sistema robusto e muito bem distribuído de instituições de ciência, tecnologia e ensino superior. Temos excelentes resultados do desempenho destas instituições em vários indicadores relacionados à inovação e ao desenvolvimento científico e tecnológico, que têm crescido exponencialmente nos últimos anos. Estes jovens bolsistas estarão atuando na pesquisa científica do Estado nos próximos anos”, afirmou.  

Os editais dos programas lançados nesta segunda-feira (7) já estão disponíveis no site da Fundação Araucária

Da AEN