Payroll foi forte, mas governo não dá ênfase a resultado pontual, diz Casa Branca

O diretor do Conselho Econômico Nacional da Casa Branca, Brian Deese, classificou como “forte” e “encorajador” o resultado do relatório de emprego de junho, o Payroll, que mostrou criação líquida de 850 mil novos postos de trabalho nos Estados Unidos no mês passado. Em coletiva de imprensa, Deese advertiu, contudo, que não pode dar ênfase excessiva ao indicador de apenas um mês e que o foco do governo é na tendência, e não em números pontuais.

Ele revelou ainda que o presidente americano, Joe Biden, orientou sua administração a tomar medidas para melhorar a concorrência na economia. Ele não deu detalhes das ações, mas disse que um delas visa proteger clientes de companhias áreas, com objetivo de evitar cobrança por serviços não utilizados.

Desse comentou ainda que empresas têm relatado melhora no problema de escassez de semicondutores e que o segundo trimestre parece ter sido o auge da questão.

Ainda segundo ele, a recuperação na indústria está em curso, tanto na produção quanto no emprego, apesar das dificuldades em acompanhar o avanço da demanda, que cresce mais rápido que a oferta.

A secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, também destacou que o governo criou uma força-tarefa para lidar com os gargalos na cadeia produtiva.