Sicredi disponibiliza R$ 38,2 bilhões para safra 2021/2022

Parceiro do agronegócio há mais de um século e segunda maior instituição financeira do Brasil em crédito rural, o Sicredi irá disponibilizar mais de R$ 38,2 bilhões aos produtores no Plano Safra 2021/2022. O valor representa um aumento de 31% em relação ao concedido no ano-safra anterior e a projeção é de que os recursos sejam ofertados em aproximadamente 290 mil operações. 

Desse total, o plano da instituição financeira cooperativa, que reúne mais de 5 milhões de associados em 24 estados, é disponibilizar R$ 21,5 bilhões para operações de custeio, R$ 12,1 bilhões para investimentos, e R$ 1,6 bilhão para comercialização e industrialização. Além desses valores, a perspectiva é conceder R$ 3 bilhões por meio de Cédulas de Produtor Rural (CPR).

De acordo com o gerente de Desenvolvimento de Negócios da Central Sicredi PR/SP/RJ, Gilson Farias, a instituição financeira cooperativa espera contratar cerca de 120 mil operações durante o Plano Safra, somente nos estados do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro. Os valores disponibilizados para produtores rurais associados dos três estados representam um acréscimo de cerca de 30% em relação à safra passada. “A atuação do Sicredi tem sido focada na oferta de soluções financeiras para a geração de impacto positivo por meio do crescimento econômico com garantia de sustentabilidade. Grande parte dos nossos associados é ligada ao agronegócio, em especial à agricultura familiar e, por isso, nos orgulhamos de ajudar milhares de famílias a aumentar a renda por meio de projetos financiados pelo Sicredi”, afirma.

FOCO NOS PEQUENOS E MÉDIOS – Com foco em atendimento aos pequenos e médios produtores, nacionalmente serão disponibilizados R$ 7,9 bilhões via Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), um volume 28% maior do que o verificado no ano-safra passado, e de R$ 6,6 bilhões por meio do Programa de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp), alta de 29%. A previsão é de mais de 220 mil operações para esses públicos, o que representa 80% do total da safra.

O crescimento no volume colocado à disposição da agricultura familiar beneficia produtores como Eliana Severino, de Ribeirão do Pinhal, no Paraná. Na propriedade de pouco mais de 10 alqueires são criados gado de corte, leiteiro, galinhas, além de uma fábrica de queijos e produção de hortifrutigranjeiros. A associada do Sicredi destaca a melhora na qualidade de vida desde 2013, quando passou a contar com consultoria especializada. “A nossa vida financeira melhorou muito depois que o Sicredi acreditou na nossa família, dando todo apoio e suporte necessários para nosso crescimento”, afirma.

“Temos uma ligação muito forte com o agronegócio e buscamos estar sempre próximos aos produtores com agências em suas localidades, o que permite, não só prestar consultoria, mas também conhecer de perto a realidade de cada região, suas culturas e características. Com isso, conseguimos ter uma projeção mais acertada das necessidades dos agricultores e pecuaristas, apontando as soluções mais adequadas para atendê-las”, afirma o diretor executivo de Crédito do Sicredi, Gustavo Freitas.

O Sicredi já está recebendo as propostas de financiamento para o Plano Safra 2021/2022, que vai até o final de junho do próximo ano. Antes de solicitar o crédito, o produtor rural associado deve fazer o planejamento da próxima safra (considerando o que vai plantar, qual é a área de cultivo e o orçamento necessário com base na análise de solo e sob orientação técnica quanto ao uso dos insumos e os demais serviços que serão utilizados). Depois disso, munido de todas essas informações, o associado poderá procurar a sua agência ou utilizar os canais digitais, como o aplicativo do Sicredi ou o WhatsApp, para dar andamento à contratação do crédito.

Balanço da safra 2020/2021 no Sicredi

No ano-safra 2020/2021, o Sicredi liberou um volume recorde de crédito rural. Foram R$ 29,1 bilhões aos produtores em mais de 220 mil operações, considerando também R$ 1,6 bilhão em CPR, o que representa um crescimento de 41% na comparação com o ano-safra anterior. Somente para a agricultura familiar foram R$ 6,2 bilhões, e para os agricultores de médio porte foram destinados R$ 5,1 bilhões. Os dois públicos foram atendidos por meio de 173 mil operações.   

CURITIBA