Escritório de São Paulo vence concurso de arquitetura para revitalização do Refúgio Bela Vista

0 110

Concurso nacional foi promovido por Itaipu e organizado pelo Instituto de Arquitetos do Brasil. Três primeiros colocados foram premiados.

Um escritório de São Paulo ficou em primeiro lugar no concurso nacional para escolha do projeto arquitetônico de reforma, ampliação e qualificação de espaços do Refúgio Biológico Bela Vista (RBV). O anúncio foi feito nesta terça-feira (26), após reunião de representantes da Itaipu e do Instituto de Arquitetos do Brasil (Departamento do Paraná – IAB/PR), responsáveis pelo concurso.

Como projeto vencedor, a Tempo Arquitetos LTDA recebeu o prêmio de R$ 50 mil. O segundo lugar ficou para o Studio Zeroum Arquitetura, de Foz do Iguaçu (PR), que recebeu R$ 30 mil. O Pagus Arquitetura LTDA – ME, de Curitiba (PR), ficou em terceiro e recebeu R$ 20 mil. A menção honrosa foi pra Mendes e Prevedello Arquitetura e Engenharia LTDA. Todos os quatro receberam certificado de participação e divulgação pública.

O edital do concurso foi lançado em 27 de junho e aberto para todo o País. Seis escritórios de arquitetura participaram da primeira etapa quando foram apresentados os estudos preliminares. Com base nas observações da comissão julgadora, as quatro melhores propostas mostraram os anteprojetos (proposta detalhada).

Todo o processo foi publicado no site do concurso, onde é possível conferir o edital, cronograma, os projetos premiados, entre outras informações.

O Refúgio Biológico Bela Vista é um dos atrativos turísticos da Itaipu, com cerca de 30 mil visitantes por ano. O espaço também desenvolve um trabalho importante para a conservação da fauna e da flora regionais, em seus 1.920 hectares. Em 2019, a unidade foi reconhecida como Posto Avançado da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica.

Quatro áreas

As propostas incorporaram conceitos de sustentabilidade e de zoodesign, com harmonização dos espaços com a paisagem do entorno, respeito à vegetação e ao relevo existentes, priorização de materiais duráveis e de baixo impacto ambiental, acessibilidade e garantia do bem-estar dos animais, entre outros requisitos.

As intervenções foram delimitadas a quatro áreas do RBV, sendo uma delas – o Centro de Conservação de Animais Silvestres da Itaipu Binacional (Casib) – destinada à reprodução. As outras três ajudarão a fortalecer o potencial turístico da unidade: a atual guarita (que ganhará bilheteria e se tornará o principal acesso ao Refúgio, na Vila C), a antiga Casa do Sol e da Lua (de onde partirão os passeios guiados) e o recinto das onças-pintadas.

A Casa do Sol e da Lua será ainda o ponto de embarque para uma nova atração, o Recinto de Imersão, que permitirá ao turista um contato mais próximo e interativo com parte da fauna e da flora do Refúgio. A operação será em veículo elétrico.

No caso do recinto das onças, o espaço atual será mantido, mas será construído um novo, com o dobro do tamanho (2,4 mil metros quadrados). Também estão previstos outros dois recintos reservados (para a manutenção dos animais), maternidades e uma central de manejo.

Da Assessoria Itaipu

Deixe um comentário