Ineficiente como visitante, Santos testa embalo do líder Palmeiras no Allianz

De um lado um time que, fora da Vila Belmiro, ainda não conseguiu vencer no Brasileiro e vem se distanciando da dianteira. Do outro, uma equipe que vive o seu melhor momento na competição e ostenta a liderança muito em função das últimas quatro vitórias consecutivas no torneio. É nessa atmosfera que o Palmeiras recebe o Santos neste sábado, às 16h30, no Allianz Parque, para seguir dominando as rédeas da competição.

Com sete triunfos em dez rodadas, o Palmeiras já começa a se orientar em duas frentes. A primeira é conservar o posto de primeiro colocado diante do Santos. O outro, é medir o desgaste físico dos atletas num momento em que a fase eliminatória da Libertadores se aproxima. Na próxima quarta-feira (14), o time do técnico Abel Ferreira inicia a sua participação nas oitavas de final diante da Universidad Católica, em Santiago.

O calendário apertado vem deixando baixas no elenco. O zagueiro Luan e o atacante Rony reclamaram de dores e a participação da dupla no clássico deste sábado depende de uma avaliação dos médicos. Irritado com o curto intervalo entre os jogos da equipe, Abel Ferreira voltou a fazer críticas ao calendário.

Sem Gabriel Menino, convocado para os Jogos de Tóquio, Abel vai poder contar com Marcos Rocha, que retorna após cumprir suspensão automática. Na defesa, a tendência é recuar Felipe Melo (caso Luan seja vetado) para atuar ao lado de Gustavo Gómez na zaga. O jovem Renan também é uma opção.

No meio-campo a equipe não deve ter surpresas e o trio Danilo, Zé Rafael e Gustavo Scarpa deve iniciar o clássico. Na frente, Deyverson está cotado para a posição se Rony for vetado. Ele deixou o jogo contra o Grêmio com dores. Outros atletas desgastados também podem ser preservados de olho no primeiro duelo das oitavas da Libertadores. Já a reestreia do ídolo Dudu é uma incógnita e depende de sua evolução física.

Se jogar neste sábado, Scarpa vai completar 150 partidas com a camisa do Palmeiras. Hoje, ele é o jogador mais decisivo da equipe e foi eleito o melhor atleta do Brasileirão no mês de junho. Ninguém soma mais participações diretas em gols do que o meia na temporada. No geral, são 20, sendo 14 assistências e seis bolas na rede.

“Vestir a camisa do Palmeiras em 150 jogos e poder escrever o meu nome na história com a conquista de títulos importantes e números representativos torna tudo isso ainda mais especial. Durante todo esse tempo em que estive aqui, sempre fui muito bem tratado por todos, me senti em casa e procurei me doar ao máximo em cada treino e partida”, disse Scarpa.

As quatro vitórias em sequência sobre Bahia, Internacional, Sport e Grêmio dão ao treinador a tranquilidade para não precipitar a volta de reforços como Dudu, por exemplo. Reintegrado ao clube após passagem pelo Catar, o atleta está ainda aprimorando a forma física.

“Não podemos ter pressa. Temos que avaliar bem a forma física dos atletas para poder tirar o melhor deles dentro de campo”, comentou.

Mas se o Palmeiras vive um ambiente sem pressão por resultados, o Santos busca afirmação no torneio. Com três derrotas e um empate como visitante, a equipe de Fernando Diniz sabe que um resultado positivo em clássico aumenta a confiança no seu trabalho.

Uma preocupação no clube é ensaiar uma reação ainda no primeiro turno para se posicionar próximo do pelotão de frente. E os três próximos compromissos da equipe são considerados vitais para conseguir dar um salto na tabela. Após o clássico contra o Palmeiras, o Santos terá pela frente o Bragantino fora, o Atlético-GO na Vila e a Chapecoense em Santa Catarina.

Em seu trabalho de vestiário, o treinador santista tem procurado mexer com os brios dos atletas para tornar o time mais confiante. Os resultados recentes da equipe santista, no entanto, justificam a sétima colocação. Com 15 pontos e a sete do líder, a equipe venceu apenas dois confrontos nas últimas cinco rodadas.

Sem Luiz Felipe, suspenso, Fernando Diniz pode ter o retorno de Alison, Felipe Jonathan e Kaio Jorge. Na zaga, Kaiky atuará ao lado de Danilo Boza. Luan Peres foi negociado com o Olympique de Marselha e não joga mais pelo clube.