Geração de empregos em Toledo é resultado da confiança econômica

0 328

A economia de Toledo abriu 323 empregos com carteira assinada em outubro deste ano, de acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), na terça-feira (28). A informação consta do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e representa o saldo líquido (contratações menos demissões) da geração de empregos formais. Em outubro, os indicadores demonstram que Toledo registrou 2.970 admissões e 2.647 desligamentos.

Toledo teve em média 29 mil admissões e 26 mil desligamentos de janeiro a outubro de 2023, gerando um saldo positivo de mais de três mil vagas. Os dados também revelam que Toledo é o sétimo município a gerar empregos no Paraná, o terceiro em per capita e o quinto com maior variação e saldo positivo no Estado.

O diretor da Agência do Trabalhador de Toledo Rodrigo Souza explica que para explanar sobre a realidade do município no mês de outubro é necessário realizar um recálculo do período (como um todo). Segundo ele, nos dez meses deste ano, o setor que mais gerou vagas foi o de Serviços, totalizando 1.790 e seguido de Indústria, com o saldo de 1.136 vagas.

Por sua vez, em outubro, o Comércio gerou mais vagas que a Indústria, totalizando 112. Em sua maioria, elas são vagas temporárias, devido ao período do ano. “Na prática, Serviços é o setor que mantém os empregos formais em Toledo, ele é o suporte para a cadeia produtiva, seguido de Indústria e, posteriormente, Comércio”.

Outro fator destacado pelo diretor que os dados demonstram a confiança econômica em Toledo. “Isso é resultado da condição econômica da cadeia produtiva. O Município está em uma condição de pleno emprego e ainda existem muitas vagas disponibilizadas”.

TRIPÉ – De janeiro a outubro de 2023, o setor de Comércio contratou em média 10.700 trabalhadores; Indústria 20 mil e Serviços 23 mil. Souza destaca que esse tripé econômico faz com que Toledo sofra menos, no sentido de falta de emprego. “Toledo está em pleno emprego”.

O diretor da Agência do Trabalhador de Toledo menciona que a instituição realizou dez mil atendimentos diretos em outubro; um número menor em relação a setembro quando totalizou 14 mil. Ele alerta que os atendimentos devem diminuir ainda em novembro. “Na prática, os trabalhadores não estão procurando por vagas. Essa situação é uma questão cultural e já observada em anos anteriores. O trabalhador voltará a procurar emprego em janeiro do próximo ano”.

PARCERIA – Além disso, a Agência do Trabalhado de Toledo com o apoio do Governo do Estado tem sido destaque nestas vagas. “No município, geramos mais vagas diretas em comparação a cidade de Cascavel, por exemplo”.

Toledo é o município que mais contratada pessoas proporcionalmente por intermédio da Agência do Trabalhador. “Em números diretos, Toledo fica atrás de Curitiba. Com o auxílio da instituição, foram 4,5 mil trabalhadores colocados no mercado. Antes deste período, o melhor ano havia sido 2010, com 4.098 novos empregos gerados”, afirma Souza.

Ele justifica que esse salto é fruto da parceria mantida entre o Poder Público e os empresários. “Nós mantemos a proximidade com as empresas e acredito que o ano de 2023 fechará com o saldo positivo de vagas. Em janeiro de 2024, como de costume, sabemos que o saldo deverá ser negativo, mas isso acontece devido a sazonalidade”.

Da Redação

TOLEDO

Deixe um comentário