Guarani, Ponte Preta e premiação de 1 milhão de dólares: conheça o DC Hyper

0 109

Em algum cenário seria possível a junção de Guarani e Ponte Preta? Difícil, não é mesmo? Não para o DC Hyper, equipe de futebol de 7, dos Estados Unidos, mas com os pés e o coração em Campinas, no interior de São Paulo.

Fundado pelo empresário e entusiasta do futebol campineiro, Wilson Matos, a equipe conseguiu juntar a base dos dois maiores times da cidade, para ir em busca da premiação de 1 milhão de dólares (cerca de R$ 5 milhões), no The Soccer Tournament, que será realizado de 1 a 10 de junho, em Cary, na Carolina do Norte, nesta temporada. 

O TST – The Soccer Tournament -, é como se fosse a Copa do Mundo das competições de Fut 7. Idealizado pelo jogador de basquete, Chris Paul, a competição vem ganhando notoriedade com o passar dos anos, não só pela bolada de 1 milhão de dólares como premiação, mas também pela presença de grandes equipes em busca do prêmio.

Nesta temporada está confirmada as presenças de Sergio Aguego, Nani, Balotelli, além da Inter de Milão, Bayern de Munique, Villareal, Borussia Dortmund, entre muitos outros que nomes que engrandecerão a disputa. 

Para Wilson Mattos, a competição surge como um grande atrativo para elevar o nome do Fut 7, como também é uma grande oportunidade de dar visibilidade a equipe, já que o DC Hyper é a única equipe que disputa uma liga de futebol profissional, nos Estados Unidos, que está presente no TST. 

– Minha ideia sempre foi participar de coisas grandes. O DC Hyper por si só foi fundado com esse intuito. Começamos no futsal, jogando os nacionais, fomos para Barcelona, onde enfrentamos os melhores do mundo e dessa vez quisemos dar uma passo maior. O TST, até aqui, é o grande desafio da história do DC Hyper. Para isso, resolvi juntar a base do time do Guarani e da Ponte Preta, que tiveram ótimos desempenhos recente nas competições nacionais, e apostar em um conjunto muito forte e a vontade de vencer desses meninos – afirmou o gestor e empresário. 

A aposta ousada em montar um conjunto forte vem desde o início da oportunidade de participar do torneio. De acordo com Mattos, passou sim por sua cabeça a ideia de montar um time cheio de estrelas, convidar o ex-jogador Falcão, por exemplo, mas o presidente da equipe resolveu apostar em dois times que já se conhecem e em uma pré-temporada de praticamente 30 dias para chegar bem a Carolina do Norte. 

– Eu planejei, pensei em diversos formatos, mas prefiro ter meninos que se dedicam, como fome de vencer e como o brilho nos olhos. Nós estamos há praticamente 30 dias trabalhando incessantemente, dois períodos por dia, com academia, fisioterapia, e treino com bola. A nossa evolução, dentro do que nos propomos para chegar na Carolina do Norte, tem sido muito boa. Mas o que mais importa é o que vem de dentro dos meninos que compõe esse time, a vontade de vencer, o sonho de vivenciar uma competição grande e, mais do que isso, ser protagonista num cenário desse – enfatizou. 

PREPARAÇÃO

No grupo G, ao lado do atual campeão, o Newtown Pride, do Zala, e do Supra United, o DC Hyper tem estreia marcada para o dia 5 de Junho, entretanto, a equipe deve viajar já nesta semana e chegar com alguns dias de antecedência para se ambientar aos Estados Unidos e também a toda atmosfera que envolve o TST.

A preparação no Brasil também buscou colocar os jogadores à prova diante dos melhores, tanto é que na segunda semana de preparação, o time realizou um jogo-treino contra o G3X FC, equipe que disputa atualmente a Kings World Cup, e conta com os dois melhores jogadores do mundo atualmente, o ala Andreas Vaz e o pivô Kelvin Oliveira. 

– No que diz respeito a nossa preparação, buscamos simular o que encontraremos. Marcamos o jogo contra o G3X, que hoje está em competição, e nos mostrou que temos possibilidades sim, quando a bola rola é tudo igual. Na nossa partida contra eles, em São Paulo, isso ficou claro. Jogamos de igual para igual. Apenas as peculiaridades da competição deles que deu a vitória, por 5 a 4, para eles, mas se fosse nas regras do Fut 7, que o TST adota, teríamos empatado em 2 a 2, com uma bola na trave no final – explicou. 

RETORNO DE MÍDIA

Com ao menos 48 times, em formato de Copa do Mundo, o TST promete ter um retorno gigantesco de mídia nesta temporada. Todos os jogos serão transmitidos ao vivo pelo Youtube e ao menos dois jogos, por rodada, será transmitido pela ESPN, dos Estados Unidos.

A competição promete movimentar, e muito, a cidade de Cary, na Carolina do Norte, que conta com aproximadamente 180 mil pessoas. Praticamente toda zona hoteleira está locada e os tickets em 80% de vendas.

Estreante, o DC Hyper representará os Estados Unidos, mas é um time totalmente brasileiro e aposta nessa miscigenação para conseguir atrair olhares e contar uma história de superação. Gerente de comunicação da equipe, o jornalista Gabriel Ferrari explicou a estratégia por parte do marketing do DC Hyper mirando a participação no TST. 

– É uma equipe genuinamente brasileira dentro de campo e com a seriedade de trabalho e gestão do norte-americano. Juntamos o melhor dos dois mundos para contar uma bonita história no TST. A ideia é transformar a participação em visibilidade e retorno para os nossos apoiadores e também deixar o nome do DC Hyper marcado no futebol dos Estados Unidos. Não é só uma equipe de Fut 7, e a única equipe de uma liga de futebol dos EUA no TST. Então temos uma representatividade muito grande – explicou. 

ESTREIA

A estreia do DC Hyper está marcada para o dia 5 de Junho, contra o Newtown Pride, ataul campeão da competição. Depois, o DC encara o Zala, no mesmo dia, e no dia 6 de Junho encerra a primeira fase contra o Supra United.

Deixe um comentário