Polícia Civil prende autor de homicídio em Toledo

0 1.222

No último dia 13 de outubro, na Avenida Primeiro de Maio, na Vila Pioneiro, dois jovens foram alvejados por disparos de arma de fogo. Um morreu e o outro permanece internado em coma até hoje. O autor dos disparos e sua namorada foram presos pela equipe da 20ª Subdivisão da Polícia Civil em Toledo na terça-feira. O delegado-chefe Alexandre Macorin concedeu uma entrevista coletiva e deu mais detalhes sobre a ação rápida da polícia, que ainda procura uma terceira pessoa envolvida no crime.

A polícia deverá apresentar dentro do prazo o inquérito como homicídio e tentativa de homicídio. “Foi um crime que chocou a sociedade de Toledo, chamou bastante a atenção”, comentou o delegado, lembrando que o casal foi preso tentando fugir para o Mato Grosso.

De acordo com a investigação, o jovem é o autor dos disparos e a namorada foi presa porque sabia do crime e ainda ajudou na fuga e em esconder o namorado, além de uma terceira pessoa que ainda não foi presa, mas já foi devidamente identificada pela Polícia Civil como sendo o proprietário do veículo. Este homem emprestou o carro e ainda a blusa na qual o autor dos disparos escondeu a arma momentos antes do crime. “Isso está comprovado nas imagens que temos”, completou o delegado. Alexandre Macorin frisou que a motivação do crime foi banal, “o que causa revolta”.

O atirador teria ficado com ciúmes porque sua ex-companheira, com quem tem um filho de apenas 8 meses, estava namorando uma das vítimas, que acabou falecendo. “Ele, descontente com a situação, teria proibido a ex-companheira em ir na residência da vítima. No dia do crime ele planejou isso e temos como comprovar à Justiça, com o auxílio de outras duas pessoas”, afirmou o delegado.

Ainda de acordo com o doutor Macorin, a segunda vítima, que está em estado gravíssimo por ter levado um tiro na cabeça, foi alvejada apenas por estar no lugar errado e na hora errada. Mas isso ainda será apurado no decorrer das investigações.

O autor do crime, destacou o delegado, deu uma versão que estaria sendo ameaçado. “Ele quer justificar o injustificável. Fato é que está plenamente comprovada a motivação do crime, o modus operandi, todas as circunstâncias que estão plenamente demonstradas nas investigações e a Polícia agora vai finalizar o inquérito policial dentro do prazo e encaminhar ao Ministério Público para que possa oferecer a denúncia”.

Mais detalhes na versão impressa do JORNAL DO OESTE desta quinta-feira (2).

Deixe um comentário