Judocas do Pinheiros traçam expectativas para o Grand Slam de Tóquio

0 496

Os judocas do E.C. Pinheiros embarcam no próximo dia 25 de novembro para a Terra do Sol Nascente para o último e mais tradicional Grand Slam do ano: Tóquio, no Japão, que acontecerá nos dias 2 e 3 de dezembro. Apenas Rafael Silva, o Baby, já encontra-se no continente asiático.

 Na seleção masculina, além de Baby na categoria +100kg, são os representantes: Rafael Buzacarini na categoria 100kg; e Willian Lima na categoria 66kg. Na seleção feminina, Larissa Pimenta na categoria 52kg e Beatriz Souza + 78 kg, vestem o quimono em busca de uma medalha. Esta etapa do Grand Slam é considerada por muitos judocas como a mais difícil de todo o circuito, já que o Japão, além de ser muito tradicional no esporte, pode inscrever até quatro judocas por categoria.  Rafael Silva, o Baby – “Com certeza é a etapa mais difícil do circuito. Acho que a principal característica dessa competição é o nível técnico de lutas no solo, que é um ponto muito forte do Japão, sendo com atletas vindo da base ou já medalhistas em diversas competições”, comentou Rafael Silva,  para a CBJ (Confederação Brasileira de Judô). O atleta do Azul e Preto, inclusive, foi o brasileiro que mais chegou longe nos Grand Slam do Japão, conquistando duas medalhas de prata. Beatriz Souza também subiu ao pódio em 2019.  Larissa Pimenta – Medalhista de ouro nos Jogos Pan Americanos em Santiago, Larissa Pimenta também considera o Grand Slam de Tóquio um dos mais difíceis, mas que lutará para ter um ótimo desempenho. “Estou muito animada, venho motivada e confiante para fazer um bom resultado. Quero desfrutar, fazer o que eu gosto e ter um bom desempenho”, comentou a judoca.  Rafael Buzacarini – Rafael Buzacarini, que conquistou a medalha de prata no Open da Austrália há duas semanas, também falou sobre suas metas em Tóquio. “É uma competição muito importante, a mais tradicional do circuito internacional e as expectativas são as melhores possíveis. Estarei lutando de igual para igual com os melhores atletas e se possível trarei também uma medalha para o Brasil”, projetou.  Beatriz Souza – “Estamos bem preparados, vindo de bastantes competições. É o último do ano, uma competição gostosa de lutar, onde os principais judocas do ranking estão lá. Então vamos com a expectativa de trazer um ótimo resultado e fazer grandes lutas”, disse a judoca. Willian Lima – “Estou indo projetando algumas expectativas para Paris-2024. Será uma competição tão dura quanto as Olímpiadas, o “Top oito” da minha categoria estará lá. Como é um país tradicional, todos os atletas querem um pedacinho do Japão. Eu, assim como os outros, estamos indo em busca da medalha de ouro e nada melhor do que fechar o ano com o melhor resultado e iniciar o próximo com as expectativas lá em cima”, finalizou o judoca.

De Esporte Clube Pinheiros

Deixe um comentário