Mudança de alunos em colégio estadual gera polêmica

0 449

O Colégio Estadual Irmão Germano Rhoden funciona desde 1983 num prédio compartilhado com a Escola Municipal, na Vila Paulista. Ou melhor funcionava. Isso porque a Prefeitura de Toledo solicitou a transferência dos 320 alunos do ensino fundamental em período integral e através do EJA (Educação de Jovens e Adultos). A decisão tomada em conjunto entre a Prefeitura de Toledo e a Secretaria de Estado da Educação do Paraná (Seed-PR) decidiu que sete turmas do Colégio Estadual Irmão Germano Rhoden serão realocadas para o Colégio Estadual Senador Attilio Fontana a partir do ano letivo de 2024.

O assunto veio à tona após o deputado estadual Marcio Pacheco ter comentado o assunto durante a sessão ordinária na Assembleia Legislativa. Ele achou estranha a informação porque, há aproximadamente 20 dias, esteve no colégio verificar o andamento de uma obra iniciada através de uma emenda do próprio deputado, em torno de R$ 50 mil, em parceria com o Governo do Estado. “Se a Secretaria de Educação autorizou que o recurso da Escola Mais Bonita fosse destinado para essa escola, como é que pode agora anunciar, do dia para noite, o fechamento do colégio”, questionou o deputado.

Pacheco lembrou que está se rompendo um Termo de Cessão que iria até o final de 2024. “Se foi um acordo, foi muito mal planejado”, emendou o parlamentar ao lembrar que a direção do colégio estava realizando as matrículas para o próximo ano e que havia um projeto da SEED da construção de um novo colégio que traz um grande ânimo para a comunidade daquela região. O deputado citou ainda a melhora considerável no Ideb nos últimos anos, inclusive com o reconhecimento da própria Secretaria de Estado da Educação.

“O prefeito Beto Lunitti, dizem, é um grande amigo da educação, mas neste momento ele fica como o grande violão da educação”, criticou Marcio Pacheco ao mencionar que se o secretário Roni Miranda Vieira concordou com isso, que faça uma reavaliação.

SENSIBILIDADE – O deputado pediu respeito aos pais e à comunidade escolar. “Que no mínimo essa organização de reorganização da escola, dos alunos, seja feita para o próximo ano, mas isso através da construção de uma nova escola. Essa notícia é incompreensível e inaceitável. Fechar uma escola com uma história de 30 anos. Mesmo havendo uma indicação técnica precisa ter planejamento e não do dia para noite”, questionou ele ao citar que poderia se tratar de uma decisão política por haver “algumas animosidades” e pediu sensibilidade.

A secretária Municipal de Educação, professora Marli Gonçalves Costa, garantiu se tratar de uma decisão “em comum acordo” e que asa tratativas neste sentido vinham desde a metade do ano porque, para 2024, a previsão é de aproximadamente 100 crianças ficarem fora da sala de aula caso não haja a transferência dos estudantes do colégio estadual. Além disso, a secretária lembrou que há 4, 5 anos há manifestações da Promotoria Pública e do Conselho Municipal de Educação para poder fazer os ajustes necessários.

Uma reunião com os pais e a direção do colégio estava marcada para a noite desta quarta-feira para definir qual seria a decisão a ser tomada.

Prefeitura reitera necessidade da implantação do ensino integral

Sobre pronunciamento do deputado estadual Márcio Pacheco na Assembleia Legislativa, que está sendo veiculado em vídeo nas redes sociais, tratando da Escola Municipal Carlos João Treis e do Colégio Estadual Irmão Germano Rhoden, a Prefeitura de Toledo emitiu uma nota assinada pelo prefeito Beto Lunitti e pela secretária Marli Gonçalves Costa, onde reforça a necessidade de implantação do ensino integral para os alunos da Carlos João Treis. “A Secretaria Municipal de Educação (Smed) tratou da questão em sucessivas reuniões com a direção do Núcleo Regional de Educação (NRE), ficando ajustado de comum acordo que, a partir do próximo ano letivo, as dependências serão utilizadas exclusivamente pelo município, já que, segundo informações do próprio NRE, o Colégio Estadual Senador Atílio Fontana, que funciona na Vila Pioneiro, a apenas 700 metros do local, conta com salas ociosas e dependências capazes de receber os alunos do Colégio Estadual Irmão Germano Rhoden”, traz a nota.

O documento lembra que a Escola Municipal Carlos João Treis atende hoje 7 turmas de ensino integral e outras 2 de ensino regular, com a projeção de necessidade de vagas para quatro novas turmas no próximo ano. “Assim, dentro do planejamento da Smed, a Escola Municipal João Carlos Treis contará em 2024 com 13 turmas, sendo todas em tempo integral, com aulas e atividades em dois períodos”, aponta.

Ainda na nota a administração do prefeito Beto Lunitti destaca que o “ensino em tempo integral é para melhorar o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) da escola, além de dar resposta às necessidades das famílias da comunidade, afastando as crianças do risco de vulnerabilidade, em atendimento ao que estabelece a Portaria 1.495, do Ministério da Educação, de 2 de agosto de 2023, que instituiu o Programa Escola em Tempo Integral, para atender o que prevê o Plano Nacional da Educação para a Educação em Tempo Integral” e que a medida foi tomada levando em consideração que, com o ingresso de mais alunos para os anos iniciais na escola municipal.

“Reiteramos que a medida foi previamente ajustada com a direção do NRE, passou por consulta junto aos setores responsáveis na Secretaria de Estado da Educação, tendo sido, inclusive, informada ao senhor secretário de Estado da Educação, Roni Miranda, em sua recente visita à Toledo. Desta forma, ficam asseguradas para o próximo ano letivo melhores condições estruturais e de ensino, tanto para os alunos da Escola Municipal Carlos João Treis quanto para os alunos do Colégio Estadual Irmão Germano Rhoden, com o bom senso indicando o fim do compartilhamento como a melhor medida possível, preservando o objetivo de oferecer uma educação da melhor qualidade possível às crianças e adolescentes de Toledo”, encerram o prefeito Beto Lunitti e a secretária Marli Gonçalves Costa.

Governo do Estado também emite nota de esclarecimento sobre mudança

Através do Núcleo Regional de Educação, a Secretaria de Estado da Educação também emitiu uma nota onde cita apenas uma “reorganização em resposta às necessidades da comunidade e à expansão da educação em tempo integral pleiteada pelo município” e pontua ter sido uma decisão tomada em comum acordo.

“Ressalte-se que a mudança será efetuada sem prejuízo aos 220 estudantes haja vista a disponibilidade maior de espaço do Colégio Estadual Senador Attilio Fontana, que, atualmente possui salas ociosas em plena adequação para receber os alunos do Colégio Estadual Germano Rhoden, Além disso, considere-se a gratuidade do transporte público viabilizado pelo município e também a distância entre as instituições (700 metros)”, destaca a nota.

Também lembra que a “medida leva em consideração o ingresso de mais alunos nos anos iniciais da escola municipal, tornando a mudança de local mais adequada para os adolescentes do Colégio Estadual Germano Rhoden, ao mesmo tempo em que evita o deslocamento de crianças de quatro anos, para as quais não haveria vagas na escola municipal” e que esta “reorganização visa garantir a qualidade da educação oferecida e atender às demandas crescentes da comunidade de Toledo. A Secretaria de Estado da Educação do Paraná (Seed-PR) reforça o comprometimento em proporcionar a melhor experiência educacional possível para todos os alunos envolvidos neste processo”, finaliza.

Márcio Pimentel

Da Redação

TOLEDO

Deixe um comentário