Parceria entre Agência do Trabalhador e Embaixada Solidária rendem Selo Sesi ODS

0 123

O Sistema S reconheceu as boas práticas realizadas pela Embaixada Solidária em Toledo, por meio do Congresso Sesi ODS realizado na capital do estado. A entidade poderá utilizar o “Selo Sesi ODS” pelo período de um ano. A conquista da honraria se deu em virtude do projeto “Trabalho e Dignidade sem fronteiras”, que é desenvolvido em parceria com a Secretaria do Agronegócio, de Inovação, Turismo e Desenvolvimento Econômico (AgroDesenvolvimento), por meio da Agência do Trabalhador. 

Selo Sesi ODS – O Selo Sesi ODS é concedido para empresas e instituições do terceiro setor que contribuem para o desenvolvimento sustentável dentro do Estado do Paraná. São iniciativas ou boas práticas que estão alinhadas com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) assumidos pelos 195 países signatários da Organização das Nações Unidas (ONU) até 2030. 

O projeto – A proposta do projeto “Trabalho e Dignidade sem fronteiras” é promover o desenvolvimento profissional e melhorar as condições de vida da população migrante. A Agência do Trabalhador de Toledo oferece um atendimento personalizado e humanizado aos migrantes. Auxilia-os no preenchimento de seus currículos e encaminha os migrantes para vagas de emprego compatíveis com suas habilidades e monitora se foram contratados ou não, até serem contratados. 

Uma série de serviços gratuitos também são oferecidos aos migrantes, destacando-se o Curriculum Vitae Automático (traduzido em outros três idiomas), cursos profissionalizantes e de qualificações em parceria com o Senai Toledo. Por meio desse projeto, capacita os beneficiários para que possam crescer de forma sustentável, saindo da miséria, da carência, da insalubridade e/ou periculosidade.

Café – Em reconhecimento à obtenção do Selo Sesi ODS e das parcerias firmadas entre a instituição, o poder público e a iniciativa privada, um café da manhã foi servido na manhã desta sexta-feira (10) na sede da Embaixada Solidária em Toledo. 

Na ocasião o prefeito Beto Lunitti parabenizou a todos os envolvidos e manifestou apoio integral a tudo que for possível e legal ajudar. “Quando se casam os interesses temos todo o processo de riqueza a serviço da vida. Acolher o estrangeiro é bíblico. É possível conviver num mesmo território e ainda aprender com tudo que vem com a nova cultura”, evidenciou. 

Empregabilidade – Segundo o diretor da Agência do Trabalhador, Rodrigo Souza, mais de nove nacionalidades foram atendidas e 263 imigrantes foram empregados somente este ano por meio da Agência com a parceria entre a Embaixada Solidária e as empresas. “Política pública é para as pessoas que precisam”, destacou Rodrigo. “Agradecemos também as empresas que contratam e abrem as portas para os imigrantes. Por conta disso, somos referência na região, no estado e no país. Esse projeto já foi apresentado em uma reunião da ONU. O Selo Sesi ODS abre uma porta para que outras pessoas enxerguem aquilo que estamos fazendo aqui”, complementa.

Reconhecimento – “Eu sonhava que minha cidade fosse referência e hoje me orgulho de tudo que tem sido feito aqui. É uma colcha de retalhos, onde cada um trouxe um pedacinho. Hoje é um dia para agradecer a todos os parceiros, pois os índices de emprego são mais que números, é o pão na mesa, é a pessoa conquistando sua independência social. É possível mudar o mundo somando pequenas ações, por meio de parcerias tudo é possível”, salientou a presidente da Embaixada Solidária, Edna Nunes.

A diretora de Políticas de Cidadania e Desenvolvimento Humano, Daliana Uemura, relacionou o sucesso do projeto ao envolvimento e comprometimento das pessoas em cada uma das parcerias. 

A gerente de Gestão de Pessoas da Fiasul, Karen Regina Brinker, participou da solenidade e frisou que “jamais as empresas teriam esse tamanho se não fosse a ajuda deles [os imigrantes]. A indústria é muito ajudada por eles, precisamos mais deles do que eles precisam de nós. A Fiasul recebeu o primeiro estrangeiro em 2010. Nós temos um trabalho constante sobre a questão da inclusão e do sentimento de pertencimento”, mencionou a gerente.

Mais de 30% do quadro de colaboradores da Fiasul hoje é composto por imigrantes. A indústria, que é referência sul americana na produção de fios, já empregou colaboradores de 16 etnias diferentes e é uma das grandes parceiras do projeto Trabalho e Dignidade sem fronteiras. 

 A coordenadora de Educação do Sesi/Senai, Denise Limberguer, parabenizou a instituição e todos os parceiros pelas ações desenvolvidas e pelo empenho em conquistar o reconhecimento estadual. Também colocou o Sesi e o Senai à disposição para ampliar a parceria em relação ao fornecimento de cursos que contribuam com a qualificação profissional dos imigrantes. 

Neste mesmo sentido, a articuladora regional do Conselho Paranaense de Cidadania Empresarial (CPCE) de Cascavel, Pâmela Lunelli, destacou a importância e o significado de cada ação desenvolvida pela instituição e a sua contribuição para o atingimento dos objetivos de desenvolvimento sustentável. Reforçou o êxito do trabalho realizado por meio de inúmeras parcerias.

Na ocasião, foi anunciado que a Embaixada Solidária também passa a fazer parte do Núcleo ODS Toledo e somará esforços de forma organizada para obtenção dos objetivos de desenvolvimento sustentável no município. 

Da Prefeitura de Toledo

Deixe um comentário