Piso da enfermagem: Amop dialoga com Sindicato e Coren/PR

0 46

A Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (Amop) recebeu, na quinta-feira (15), o Sindicato dos Enfermeiros do Oeste, Noroeste e Sudoeste do Paraná (SENFEONSPAR) e o Conselho Regional de Enfermagem do Paraná (Coren/PR) para tratar sobre o piso nacional da enfermagem. O encontro, bastante positivo, demonstrou uma convergência de propósitos.

A reunião contou com a participação do presidente da associação de municípios e prefeito de Toledo, Beto Lunitti, do diretor geral da entidade, Vinicius Almeida, do assessor jurídico, João Paulo Pyl, do Secretário de Saúde de Cascavel, Miroslau Bailak, do presidente do SENFEONSPAR, Ronaldo Barboza, e da chefe da subseção de Cascavel do Coren/PR, Sabrina Renata Zanardi.

A Amop, então, pode ouvir os representantes da categoria da enfermagem e apresentar nota técnica produzida pela entidade. Ficou demonstrado para o sindicato e para o conselho da classe, o verdadeiro interesse dos prefeitos e prefeitas de pagarem o piso da enfermagem, desde que haja o repasse necessário de recurso pela União.

De acordo com o presidente da associação, a conversa, bastante madura e produtiva, também oportunizou a discussão de outras preocupações por conta da redação da portaria que trata do piso. Há falta de clareza quanto a carga horária e forma de pagamento, por exemplo. Todas as questões técnicas foram materializadas na nota entregue ao sindicato e ao conselho.

“Os Municípios estão sofrendo com queda de arrecadação. Os prefeitos estão fazendo esforço tremendo para manter todas as atividades dos Municípios, atendendo as necessidades da população. Naturalmente que agora com o piso da enfermagem se agrava ainda mais. Há ainda o limitador com folha de pagamento e muitos Municípios estão muito próximos disso. São vários aspectos importantes”, avalia o presidente da Amop, Beto Lunitti.

A associação tem atuado em caráter regional, mas também buscado alinhamento com a Associação dos Municípios do Paraná e com a Confederação Nacional dos Municípios. “O que a Amop quer é que tudo isso se resolva. O governo federal sinalizou fonte de recurso para nove meses, mas, ainda assim insuficientes. Mas precisamos pensar para além, como vai ser o pagamento desse piso permanentemente”, comenta Lunitti.

Para Ronaldo Barboza, presidente do SENFEONSPAR, o encontro foi bastante importante. “Ficamos felizes. Acreditamos que buscaremos de forma conjunta a aplicação do piso da enfermagem. Pensamos primeiramente que o pagamento do piso, na esfera pública, demanda de recursos e esses recursos não são propriamente dos municípios. Há uma formação a partir de um financiamento tripartite e os valores que foram alocados precisam ser repassados o mais rápido possível para os Municípios”, afirma Ronaldo.

Sabrina Renata Zanardi, enfermeira fiscal, chefe da subseção de Cascavel do Coren/PR, comenta que conversas como a desta quinta-feira com a AMOP são fundamentais. “Nós estamos acompanhando desde o início, toda essa trajetória, e nós estamos em todos os momentos, junto com os profissionais de enfermagem, apoiando, para que seja realmente pago esse piso. Estamos juntos, reunidos, unindo forças. A avaliação da reunião com a AMOP é muito positiva. Estamos acompanhando o empenho dos Municípios, dos prefeitos, para que realmente haja o pagamento do piso, desde que recebam a verba do governo”, pontua Sabrina.

O canal de diálogo da Amop com o sindicato e com o conselho da classe seguirá aberto, segundo o presidente Lunitti. “Essa pauta do piso da enfermagem é importante para a categoria e precisamos avançar nela. Quando houver recursos, quando tudo estiver ajustado dentro da perspectiva legal de Leis, portarias, decisões judiciais, os prefeitos e prefeitas dos Municípios em que houver necessidade de adequação do piso, farão, de forma coletiva, o pagamento para que fique adequado os vencimentos aos desejos da categoria”, finaliza, reforçando que é imprescindível o olhar para o financiamento futuro do piso da enfermagem.

CASCAVEL

Deixe um comentário