Consulado da China pede investigação minuciosa de ‘grave ato de violência’ no Rio

O Consulado Geral da China no Rio de Janeiro divulgou nota neste sábado, 18, classificando como “um grave ato de violência” o atentado sofrido na última quinta-feira, 16, quando um homem não identificado lançou um explosivo contra o prédio da representação diplomática, em Botafogo, zona sul do Rio de Janeiro. A Embaixada dos Estados Unidos e o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) também repudiaram o ataque.

Manifestando “veemente condenação” ao ato, o consulado da China pede uma investigação minuciosa, a punição do culpado nos termos da lei, além das medidas cabíveis para evitar que incidentes similares voltem a ocorrer. “O desenvolvimento sem sobressalto das relações sino-brasileiras corresponde aos interesses essenciais dos dois países. Não terá sucesso qualquer conspiração de pouquíssimas pessoas em destruir a amizade China-Brasil”, diz a nota.

O documento faz ainda referência à Convenção de Viena sobre Relações Consulares, que garante a segurança e a integridade das instalações e de seu pessoal. “Esperamos e temos a convicção de que o governo brasileiro tomará medidas concretas para proteger esta missão consular e seu pessoal”, afirmou.

Pelas redes sociais, a Embaixada dos Estados Unidos lamentou, neste sábado, “a recente tentativa de intimidar ou danificar ” a sede do consulado chinês no Rio. “Ressaltamos também que representações diplomáticas em todo mundo são protegidas pelos princípios invioláveis”, disse a representação americana.

A OAB disse confiar que as autoridades brasileiras conduzirão investigações “com a devida seriedade exigida pelo caso”. “O ato representa uma agressão ao Estado chinês, o qual se faz presente também em outros Estados brasileiros por meio de suas missões estrangeiras no Distrito Federal, em São Paulo e em Pernambuco, que igualmente se tornaram alvos de ameaças e atitudes xenofóbicas, sobretudo após o advento da pandemia da covid-19”, afirma a nota do conselho da entidade.

A Ordem destacou que condutas como essa são “inadmissíveis e podem macular as relações diplomáticas entre o Brasil e a China”, ressaltando que a parceria é extremamente importante para o desenvolvimento de ambos os países.

O caso está sendo investigado pela 10ª DP (Botafogo). O homem que lançou a bomba no prédio, que fica na Rua Muniz Barreto, fugiu correndo do local, mas a polícia já recolheu imagens de câmeras de monitoramento que registraram a ação e estão tentando identificar o autor do atentado. Não houve vítimas. A Polícia Civil também está ouvindo testemunhas.