Pós em Desenvolvimento Regional e Agronegócio realiza edição de 2023 da Escola de Altos Estudos

0 213

O Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional e Agronegócio (PGDRA) da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), campus de Toledo, realizou a edição de 2023 da Escola de Altos Estudos em Desenvolvimento Regional e Agronegócio (EAEDRA) com a participação de duas pesquisadoras ucranianas.

Ambas as pesquisadoras apresentaram os aspectos históricos, geográficos e culturais da Ucrânia, para situar o debate sobre a socioeconomia e o desenvolvimento no país. As professoras Tetiana Hohol e Olena Tsvirko fazem parte do Programa Paranaense de Acolhida aos Cientistas Ucranianos, da Fundação Araucária e desenvolvem pesquisas junto ao PGDRA.

A professora Tetiana Hohol abordou a questão da descentralização administrativa na Ucrânia, adotada após 1991. De acordo com Tetiana, a descentralização possui dois objetivos: a transferência de recursos para o uso adequado às necessidades locais; e assegurar uma maior participação dos residentes nas questões públicas. Hohol explica que a descentralização foi um processo gradual na Ucrânia, que exigiu a criação de representação das comunidades locais para gerenciar os próprios recursos, em uma estrutura semelhante à dos Estados e Municípios no Brasil.

A professora Olena Tsvyrko tratou sobre as questões de modais de transporte na Ucrânia. Segundo ela, o país ocupa uma posição privilegiada na Europa e, por isso, abriga quatro corredores nacionais e internacionais (rotas de transporte que cortam o país) que combinam ferrovias, rodovias e hidrovias. A docente também apresentou dados populacionais, como crescimento demográfico e índices de desenvolvimento, explicando os impactos de determinados eventos em pontos de inflexão dos dados apresentados.

O coordenador do PGDRA, professor Lucir Reinaldo Alves, avalia que as pesquisadoras trouxeram panoramas interessantes sobre as pesquisas que vêm desenvolvendo nos últimos anos. “O público pode conhecer um pouco mais sobre a Ucrânia nos seus mais diferentes aspectos: sociais, econômicos e culturais. Foi muito produtivo e interessante. Os próximos passos, agora, é que as pesquisadoras desenvolvam suas pesquisas realizando comparações entre o Brasil e a Ucrânia relacionados, principalmente, aos temas de pesquisa. Esta oportunidade de interação com pesquisadoras estrangeiras está sendo muito bom para os alunos e professores do PGDRA e 2024 promete ser ainda mais produtivo e interessante”, disse o professor.

TOLEDO

Deixe um comentário