Prefeitos e representantes da Amop participam de encontro sobre Susaf

0 39

Prefeitos e representantes das 58 cidades que compõem a Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (Amop), técnicos agrícolas, produtores rurais e proprietários de pequenas agroindústrias participaram da apresentação do Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agroindustrial Familiar, Artesanal e de Pequeno Porte (Susaf). O evento aconteceu na quarta-feira (23) durante o Show Rural de Inverno, em Cascavel.

Atualmente 55 agroindústrias estão indicadas para o selo Susaf, podendo vender os produtos sem limites municipais. O objetivo do governo estadual é ter, no mínimo, 200 municípios aderidos até 2026.

De acordo com informações do Sistema, 41 municípios do Paraná já aderiram ao Susaf de forma individual, outros 31 por meio do Consórcio Intermunicipal para o Desenvolvimento Rural e Urbano Sustentável da Região Central do Estado do Paraná (Cid Centro) e dez pelo Consórcio Público Intermunicipal do Centro Noroeste do Paraná (Cicenop). Há, pelo menos, 20 municípios em processo de adesão.

O secretário de Estado da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, comenta que o Governo pretende destravar os processos. “O que já estamos fazendo, porque podemos ir mais longe e com mais velocidade”.

Ortigara pontua que o importante é o Estado dar condições para que o empreendedorismo possa acontecer. “Alguns perceberão oportunidades e vão crescer. Isso fará bem para a economia pois venderão para todo o Estado. O desafio é importante, sem limites para o Paraná”.

SIM – Quem também participou do evento é a gerente de Inspeção de Produtos de Origem Animal na Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), Mariza Koloda Henning. Ela destacou a necessidade dos municípios que quiserem aderir ao Susaf possuírem um Sistema de Inspeção Municipal (SIM) atuante e bem-estruturado. “Eles também têm a possibilidade de se unirem em consórcio para compartilhar o serviço de inspeção e reduzir custos”.

O médico veterinário do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-PR) – regional de Toledo – Gelson Hein enfatiza a importância das agroindústrias habilitadas para comercializarem os seus produtos no Estado. “Esse evento tem como proposta incentivar aos municípios a busca dessa possibilidade como uma abertura de mercado. Para isso, eles precisam ter a inspeção municipal qualificada de maneira a permitir que as agroindústrias existentes se adequem a legislação”.

Na Regional de Toledo, os municípios que já possuem o Susaf são Toledo, Santa Helena e Nova Santa Rosa. “O Estado pretende tornar o processo mais atrativo aos municípios. A princípio, os produtores e as pequenas empresas estão mais interessadas em ter esse Selo. Com a possibilidade de ter um pacote mais acessível, as exigências são as mesmas, mas os passos dos processos são mais fáceis. O incentivo maior é em cima das prefeituras para que elas se sensibilizem e encontrem caminhos para que Susaf possa ser possível”, afirma Hein.

Ele complementa que os municípios devem realizar encaminhamentos políticos e burocráticos na Câmara de Vereadores. “Em várias regiões do Paraná, o Governo do Estado está estimulando a ingressar no Sistema e ‘clareia’ os empecilhos”.

Na ocasião, Hein comenta que o IDR-PR tem o papel de incentivar as prefeituras a acessarem a documentação necessária, bem como utilizar os técnicos para auxiliar na montagem da documentação. “As empresas que querem participar do Susaf possuem segurança jurídica como também uma segurança na qualidade do produto.

Durante o evento, o certificado de habilitação foi entregue para o município de Medianeira, que agora pode conceder o selo Susaf às suas agroindústrias que se adequarem aos critérios higiênico-sanitários estabelecidos.

Selo

Os estabelecimentos interessados em obter o selo Susaf/PR devem seguir os programas de autocontrole, como limpeza, desinfecção e higiene, hábitos higiênicos e de saúde dos manipuladores. Além disso, são exigidos a manutenção das instalações e equipamentos, controle de potabilidade de água, seleção de matérias-primas, ingredientes e embalagens, controle de pragas e vetores e controle de temperatura. Também devem contratar profissional habilitado para a industrialização e conservação dos produtos. O Susaf foi criado por lei em 2013, mas regulamentado em 2020.

Da Redação*

TOLEDO

*Com informações da AEN

Deixe um comentário