Projeto Leans: Hoesp tem redução de espera de atendimento

0 767

O Projeto Leans nas Emergências apresentou resultados positivos na Hoesp/Hospital Bom Jesus. O encerramento da consultoria presencial ocorreu na terça-feira (28). A cerimônia ocorreu no Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Toledo e reuniu colaboradores da Hoesp e servidores da 20ª Regional de Saúde de Toledo.

O hospital foi selecionado pelo Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde SUS (Proadi-SUS) para a implantação do projeto, através do diagnóstico prévio dos indicadores, estrutura, e capacidade da instituição. Os trabalhos de consultorias iniciaram no mês de agosto e resultaram em melhorias nos processos internos.

“As consultorias visavam promover melhorias nos processos internos para redução do tempo do paciente até o leito hospitalar e até o pronto atendimento”, relata a superintendente da Hoesp, Zulnei Bordin. “Foram seis meses de projeto e já temos grandes resultados como a redução do tempo de triagem do paciente logo na chegada dele; a redução do tempo de espera pelo leito hospitalar e, consequentemente, a redução da lotação do pronto atendimento. Tudo isso reverte em melhorias da assistência ao paciente que é nosso foco principal”.

Segundo Zulnei, a consultora trouxe melhorias e ferramentas que possibilitaram acelerar o processo. Ela reforça que as ações, consequentemente, trouxeram resultados excelentes que reduziram o tempo de espera. “No pronto atendimento também ocorreu a redução de resultado de um dia, ou seja, reduziu o tempo de espera de um dia pelo leito, principalmente, de UTI. Um dia faz diferença para o paciente”.

RESULTADOS SATISFATÓRIOS –  Entre os resultados, o pronto socorro obteve 13% na redução de tempo porta médico (espera do atendimento); 398% de redução do tempo de coleta de exames; 96% de redução para realização de exames de imagem; 146% na redução do tempo para reavaliação do paciente; 129% na redução de tempo de acesso ao leito.

No Centro Obstétrico os números também foram positivos: 383% na redução de tempo porta médico (espera do atendimento); 42% de redução do tempo de coleta de exames; 351% de redução da alta ambulatorial; 232% na redução do tempo para reavaliação do paciente; e 84% na redução de tempo de acesso ao leito.

Os resultados foram possíveis através de diversas mudanças realizadas nos setores, principalmente relacionadas ao fluxo de pacientes. “Tivemos melhoria de acesso ao paciente, e isso contempla melhorias na recepção, triagem, e atendimento. Foi um conjunto de ações que resultou em um trabalho extraordinário”, relata o enfermeiro responsável pelas relações públicas, Itamar Weiwanko.

PROCESSO DE AMADURECIMENTO – O médico consultor do Hospital Sírio Libanês, Rodrigo Sanches Garcia, pontua que, desde o início dos trabalhos, acompanha a Hoesp. “Avaliamos que o Hospital passou por um processo de amadurecimento muito intenso – se considerarmos o curto espaço de tempo que a gente tem de projeto. Foram seis meses presenciais e, agora nessa nova etapa, iniciamos as visitas remotas por mais seis meses”.

De acordo com Garcia, um dos indicadores medidos é o tempo médio de permanência “Quando iniciamos as consultorias este tempo era em torno de cinco dias, quase seis e agora está em 3.8. Isso otimiza os leitos, o hospital consegue atender mais pacientes sem criar nenhum leito, sem criar nenhuma melhoria de RH. O paciente nessa jornada dele acaba sendo alocado no local certo, no tempo certo, com o recursos corretos. Ele não fica no pronto socorro competindo com outros pacientes que precisam dessa vaga”.

Outro ponto avaliado positivamente por Garcia é o tempo de retomada de decisão – que é quando os médicos pedem exames e os resultados vêm com mais celeridade agora. “Estamos orgulhosos e felizes com os resultados. Isso é um processo de melhoria contínua que vai continuar intrínseco na instituição. Nos próximos seis meses, mensalmente acontecem as ‘visitas remotas’. Após completar um ano do projeto, o hospital fica cadastrado na comunidade e é monitorado a distância pelo Ministério da Saúde. Conforme os resultados alcançadas, ele poderá ir para a fase dois com foco no centro cirúrgico e as internações, ou seja, ainda tem chance de ter mais uma fase, mais uma etapa do projeto”, conclui.

AVANÇOS NA SAÚDE – Na avaliação do diretor da 20ª Regional de Saúde, Fernando Pedrotti, o projeto é uma grande oportunidade para aperfeiçoar o atendimento e garantir uma assistência de qualidade ao usuário. “Com esse projeto observamos a necessidade de mudança, e que bom podermos contar com um projeto tão importante e um hospital de excelência como o Hospital Sírio Libanês, isso nos incentiva a continuar aperfeiçoando. A consultoria é muito bem qualificada e sem custo, e a Hoesp é o grande serviço de referência para a regional. Termos aprimorado o serviço garante melhores respostas ao usuário e população em toda região”, destaca.

PROJETO QUE PREVÊ MELHORIAS CONTÍNUAS – A Hoesp foi selecionada dentre 800 hospitais para participar do programa na primeira fase. O Projeto Lean é uma iniciativa do Ministério da Saúde, implementado pelo Hospital Sírio-Libânes. É uma filosofia de gestão que utiliza princípios e técnicas para melhoria de processos baseado em tempo e valor, desenhada para assegurar fluxos contínuos e eliminar tanto desperdícios quanto atividades de baixo valor agregado.

Da Redação*

TOLEDO

*Com informações da Assessoria

Deixe um comentário