Profissionais da rede de proteção participam de capacitação sobre trabalho infantil

0 148

Profissionais que compõem a  Rede do Sistema de Garantia dos Direitos da Criança e Adolescente em Toledo, Assis Chateaubriand e Maripá participaram nesta quarta-feira (12), no auditório do Centro de Eventos Ismael Sperafico, da capacitação “Trabalho Infantil – O caminho das infâncias na construção dos tempos para ser criança”. O evento, promovido pela Secretaria Municipal de Políticas para Infância, Juventude, Mulher, Família e Desenvolvimento Humano (SMDH), por meio do Departamento de Políticas para Infância e Juventude, e a Comissão Intersetorial de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil, teve como ponto central a palestra ministrada pela professora Ângela Mendonça, uma das maiores especialistas no assunto no Brasil.

A capacitação, que contou com o apoio do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), destinou-se ao alinhamento de conceitos e ao compartilhamento de práticas, fomentando propostas de metodologias de boas práticas e experiências positivas de intervenções com crianças, adolescentes e suas famílias. “Sabemos que o trabalho infantil está diante de nossos olhos e que envolve muitas vulnerabilidades que atingem as famílias com quem atuamos na rede de proteção. Hoje, nosso objetivo principal é discutir medidas e práticas de atendimento para que possamos conhecer o panorama nacional e internacional do trabalho infantil, reconhecendo suas piores formas e permitindo uma intervenção rápida e eficaz nos casos identificados. Será um dia para compartilhar práticas, alinhar conceitos, e fomentar propostas de metodologias de boas práticas e experiências positivas de intervenções para trabalhar com crianças, adolescentes e suas famílias dentro das diferentes políticas públicas”, pontuou a titular da SMDH, Rosiany Favareto, em sua fala durante a abertura do evento.

A convidada é pedagoga e advogada especializada em Direito Educacional e em Direito da Criança e do Adolescente, que preferiu tratar o evento como uma “conversa” e não como uma palestra. “É uma satisfação estar em um evento no qual falo com pessoas que se importam com os direitos das crianças e adolescentes, que dedicaram um dia inteiro para revisar um conteúdo que trata de uma construção histórica coletiva. Foi a partir de pessoas iguais a vocês que se criou a pressão popular que culminou em avanços que temos que seguir defendendo. Devemos ocupar o nosso lugar no mundo, sempre batalhando por uma transformação que pode demorar muito tempo para acontecer, porém devemos seguirmos nesta luta de superar esta situação na qual as utopias adormecerem em torno dos propósitos individuais em detrimento dos coletivos”, analisa. “Entendo que qualquer interação deva ser baseada na amorosidade que respeita, acolhe e dialoga nos contraditórios. Neste cenário, afirmo que a escola nunca teve um papel tão importante na defesa dos direitos de crianças e adolescentes”, acrescenta.

Além de servidores da SMDH, integrantes de equipes de dez secretarias municipais marcaram presença: Educação; Saúde; Assistência Social; Segurança e Mobilidade Urbana; Cultura; Esportes e Lazer; Fazenda; Recursos Humanos; Agronegócio, Inovação, Turismo e Desenvolvimento Econômico; e Planejamento, Habitação e Urbanismo. Também foram convidados representantes de conselhos municipais, dos conselhos tutelares, dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, de entidades e da sociedade civil, além de outros interessados no tema.

TOLEDO

Deixe um comentário