Refúgio Bela Vista recebe Jornada de Estudos sobre o Corredor Ecológico Santa Maria

0 389

O Refúgio Biológico Bela Vista, da Itaipu Binacional, recebeu, de 5 a 7 de junho, 330 crianças de 9 a 11 anos, alunos do 5º ano do Ensino Fundamental das escolas municipais de Santa Terezinha de Itaipu, participantes da Jornada de Estudos sobre o Corredor Ecológico Santa Maria.

Promovida pelo Instituto Caminhos da Conservação (ICC), a iniciativa promove uma imersão no mundo da ecologia. No Refúgio, os estudantes puderam conhecer o viveiro das mudas, onde é feita a seleção das sementes, e aprender todo o processo de quebra de dormência e germinação das sementes, até virarem mudas de árvores nativas da Mata Atlântica.

A Jornada vai de março a novembro. Em passeios e rodas de conversa, princípios biológicos como a fragmentação das matas, equilíbrio dos ecossistemas, o ciclo da água e a polinização são traduzidos de forma lúdica e divertida, para formar cidadãos comprometidos com a sustentabilidade do planeta.

 

As ações são idealizadas e coordenadas pela presidente do ICC, a ambientalista Giovanna Silvestri. “Explicamos aos estudantes que a floresta é a casa dos animais. Sendo assim, eles precisam entender que nesta casa tudo funciona em equilíbrio, tudo está interligado. Na floresta não existe morte e, sim, renovação. Qualquer coisa que seja tirada de lá vai fazer falta nos processos de interações ecológicas”, comenta.

A proposta da Jornada de Estudos é disseminar conhecimento e reforçar a importância da preservação ambiental junto às crianças, agentes multiplicadores das informações sobre sustentabilidade. Por meio delas, são impactadas indiretamente 1.200 pessoas na região – famílias inteiras convidadas a pensar de forma mais realista e empática sua relação com a natureza.

Todas as atividades são gratuitas, acompanhadas por professores, biólogos e especialistas.

Sobre o ICC

O Instituto Caminhos da Conservação nasceu ligado ao Corredor Ecológico Santa Maria e à Reserva Particular de Patrimônio Natural Santa Maria, iniciativas da Fazenda Santa Maria, em Santa Terezinha do Itaipu (PR). A articulação dos parceiros envolvidos no projeto começou no final da década de 1990, quando os proprietários da fazenda criaram uma Unidade de Conservação de caráter perpétuo em terras privadas. Ao todo, são 976 hectares de floresta preservada. O ICC trabalha para despertar consciência ambiental, para perpetuar e guardar esse tesouro da biodiversidade.  

Deixe um comentário