Blitz educativa marca campanha de combate ao abuso de menores em Maripá

A Secretaria Municipal de Assistência Social juntamente com a Rede de Proteção Intersetorial de Maripá realizou na manhã desta terça-feira (18), na Praça das Orquídeas, o lançamento da campanha pelo Dia Nacional de Combate ao Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Uma blitz educativa na Avenida Farrapos marcou o início da campanha, com entrega de material orientativo e um chaveiro da campanha.

A proposta do “18 de maio” é destacar a data para mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos sexuais de crianças e adolescentes. “É dever de todos nós proteger as crianças, por isso a importância da denúncia e a responsabilidade de todos em ficar atentos a possíveis casos”, destaca o prefeito Rodrigo Schanoski. Para ele, é preciso garantir a toda criança e adolescente os seus direitos para que se desenvolvam de forma segura e protegida. “O trabalho que é desenvolvido aqui em Maripá pela Rede Intersetorial é fundamental para que isso de fato ocorra”, pontua.

O tema também foi abordado nas escolas municipais e nas reuniões realizadas pelo CRAS com os membros do Bolsa Família e do PAIF – Serviço de Proteção e Atenção Integral à Família

DENUNCIE – Segundo a psicóloga da Secretaria de Assistência Social, Juliana Pastore Massocatto, é fundamental que a comunidade tome para si essa responsabilidade e denuncie. “Se tiver consciência de algum caso, seja uma suposição, um boato, uma desconfiança, leve essa informação para a rede de proteção do município ou aos outros canais de denúncia para que a equipe analise o caso de forma a proteger essa criança ou adolescente, lembrando que as denúncias podem ser feitas de forma anônima”, explica.

Para denunciar qualquer situação ou suspeita de violência ou violação de direitos contra crianças e adolescentes, basta ligar para o Disque 100 (Direitos Humanos) ou Disque 180 (Polícia Militar). O atendimento funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana, com garantia de sigilo das informações e de quem faz a denúncia. Denúncias também podem ser feitas ao Conselho Tutelar municipal pelos telefones (44) 3687-1449 ou (44) 99964- 9029 (plantão).

PORQUÊ 18 DE MAIO – A data foi escolhida como dia de mobilização contra a violência sexual porque em 18 de maio de 1973, na cidade de Vitória (ES), um crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido como o “Caso Araceli”. Esse era o nome de uma menina de apenas oito anos de idade, que teve todos os seus direitos humanos violados, foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta daquela cidade. A proposta do “18 de maio” é destacar a data para mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos sexuais de crianças e adolescentes.

Camila Angst

MARIPÁ