Carteirinhas do Autista são emitidas pelo Estado; em Toledo, famílias buscam por informações

0 1.810

Abril é o mês de conscientização para o Governo do Estado. Desde o dia 1º de abril, o Paraná realiza o mutirão para a emissão de Carteirinhas do Autista. Até o começo desta semana, o Estado já confeccionou 1.420 documentos, algumas Carteirinhas do Autista em Toledo.

Em entrevistas, o secretário do Desenvolvimento Social e Família, Rogério Carboni, explica que esse incentivo para a confecção é essencial na elaboração de políticas públicas assertivas. “É essencial ter números, dados e informações. Precisamos saber onde estão as pessoas autistas, quantas são. Conhecer a realidade do Paraná é fundamental para que consigamos atender a essa população”.

Os municípios que lideram o ranking de emissões são Curitiba (83), Maringá (70) e Ponta Grossa (19), e ainda serão realizadas ações em diversas cidades do Paraná. Na próxima semana haverá mutirões nas regiões de Guarapuava, Umuarama, Laranjeiras do Sul, Pitanga e Cianorte.

Em Toledo, essa facilidade chamou a atenção dos atendidos pela Associação de Familiares e Amigos dos Autistas – VIDA. A presidente da entidade Roseli de Lima de Oliveira afirma que muitas famílias tiveram acesso a Campanha do Estado e entraram em contato com a Associação para buscar mais informações.

Roseli enfatiza que a carteirinha – a nível estadual – é válida para todo o Paraná e a maioria das famílias do município ainda não possui. Ela ainda salienta que a carteirinha do Estado é diferente do documento fornecido pela Associação. “A nossa é municipal, ou seja, ela somente é válida dentro de Toledo”.

ONLINE

De acordo com a presidente da Associação, o link da Carteirinha do Autista no Estado é disponibilizado também de maneira digital. “Muitas famílias não tinham acesso ao link e a orientação é que a família faça a carteirinha por meio de uma logística programada. Nós acessamos o link e explicamos para a família”, pondera Roseli.

Pelo site www.carteiradoautista.pr.gov.br, é possível anexar os documentos necessários (RG, CPF do Autista; RG, CPF do Responsável, fotografia digitalizada com boa resolução, laudo médico digitalizado com os dados do paciente, CID, assinatura e carimbo de identificação com CRM do médico responsável e exame de Tipo Sanguíneo digitalizado), e gerar o documento, que pode ser impresso depois da finalização e análise.

PRIORIDADE

Com a Carteirinha do Autista em mãos, a presidente da Associação menciona que as famílias possuem prioridades em alguns atendimentos e o acesso aos serviços públicos e privados em especial nas áreas de Saúde, Educação e Assistência Social.

Roseli destaca que as Carteirinhas do Estado ou do Município são ferramentas para evitar constrangimento para as famílias. “Assim, quando buscamos atendimentos para o nosso filho não precisamos do acompanhamento de um laudo médico para comprovar que ele tem direito ao benefício”.

Ela enfatiza que as carteirinhas são ferramentas para conscientizar a sociedade. “Mas, a população deve estar preparada e respeitar as legislações. Pois, apesar de termos a Carteirinha Municipal nem sempre os direitos dos nossos filhos são cumpridos. Enquanto presidente da Associação, presencio muitas reclamações dos pais quando o assunto é prioridade no atendimento. O documento existe e agora a lei precisa ser respeitada”, finaliza Roseli.

Da Redação*

TOLEDO

*Com informações da AE Notícias

Deixe um comentário