Rede Estadual de Ensino distribui kits da alimentação escolar

As aulas na Rede Estadual de Ensino têm ocorrido de forma remota. Não ter os alunos presentes nas escolas exige toda uma logística que também envolve a destinação dos alimentos que seriam utilizados para o preparo da alimentação escolar. Este ano, a distribuição de alimentos perecíveis e não perecíveis deve ocorrer nos mesmos moldes de 2020, até que os estudantes voltem a frequentar os colégios.

“Os produtos da alimentação escolar tem chegado nas escolas e nos colégios, tanto o alimento seco, como da agricultura familiar”, explica o chefe do Núcleo Regional de Educação de Toledo (NRE), José Carlos Guimarães. “Os diretores têm seguido o protocolo de orientação e feito a entrega as famílias inscritas no Cadastro do Bolsa Família”.

Os kits contemplam alimentos como arroz, feijão, farinha, açúcar, macarrão, óleo de soja, frutas, verduras e hortaliças da agricultura familiar, entre outros. O representante da família faz a retirada na escola onde o aluno está matriculado. O chefe esclarece que a distribuição obedece a listagem das famílias inscritas no programa Bolsa Família no Sistema Estadual de Registro Escolar (SERE).

“A adesão das famílias é bastante grande. Percebemos que são muitas famílias que dependem da ajuda e desse alimento. Os alimentos entregues na escola são os da merenda escolar, que se não for entregue vence, uma vez que não têm alunos para comer. Toda vez que marcamos a entrega da merenda, as famílias podem buscar, independente se pegaram da vez passada ou não. A única exigência é estar cadastrado no Bolsa Família, para controle das escolas”, reforça Guimarães ao salientar que na entrega as escolas mantêm as medidas de segurança e distanciamento.

Em 2020, o Governo do Estado distribuiu quase 40 mil toneladas de alimentos, um investimento de R$ 187,9 milhões – bem acima de 2019, quando foram distribuídas 23 mil toneladas (apenas nas escolas), um total de R$ 127 milhões investidos.

ENSINO – Segundo o chefe, os recursos estão chegando normalmente ao Núcleo Regional de Educação. “Todas as escolas foram equipadas com pontos de internet em cada sala de aula, com um neetbook que fica a disposição para uso dos professores, caso o professor optar em fazer as aulas na escola”, relata.

Sobre a retomada das aulas presenciais e o início do ensino no modelo híbrido, Guimarães comenta que ainda não tem uma data definida. “Neste momento o Governo/SEED, não menciona nada. Temos que focar no estudo remoto. Ainda não temos previsão”, conclui o chefe do Núcleo Regional de Educação de Toledo.

Da Redação*

TOLEDO

*Com informações da Assessoria