Coluna do Editor 11/06/2021

No limite

Ainda na noite de quarta-feira, a Prefeitura de Toledo emitiu um comunicado destacando não haver mais condições de receber novos pacientes no Pronto Atendimento Municipal Doutor Jorge Nunes (Mini-hospital), na Vila Pioneiro. Eram 23 pacientes intubados no local aguardando uma vaga para leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Esforços

No comunicado a Secretaria de Saúde reitera ter feito “todos os esforços, desde o início da pandemia, para ampliar o atendimento, porém neste momento não há mais capacidade absorver pacientes por falta de estrutura física, equipamentos, insumos e recursos humanos”.

Colapso

O comunicado apenas reforça a imagem de incompetência na gestão da saúde que se instalou de janeiro para cá. O colapso da saúde pública é o reflexo de decisões inconsequentes quando se trata de uma doença tão traiçoeira como é a Covid-19.

Hospital de campanha

Houvesse um pouco mais de humildade entre aqueles que ocupam postos chave em cargos na saúde, quem sabe não seria possível reativar o Hospital de Campanha que tinha sido montado na gestão do prefeito Lucio de Marchi junto ao Instituto João Paulo II, na Estrada da Usina. Na época Lucio foi atacado covardemente por muitos que aí estão hoje ocupando espaço em cargos públicos, mas que agora se omitem diante da gravidade da situação.

Decisões

Houvesse um pouco mais de humildade dentro da atual gestão, sem dúvida sugestões importantes dadas para melhorar o atendimento, quem sabe, poderiam ser aceitas, entretanto, como não partem das ‘cabeças brilhantes’ são ignoradas por completo e as decisões seguem sendo tomadas de maneira aleatória, na base do ‘enxuga gelo’.

Pressão

Como se não bastasse, a arrogância não permite ouvir nem mesmo que é colega de outros municípios que ainda buscam auxiliar, mas que agora foram pressionados a não mais encaminharem pacientes a Toledo porque não haverá atendimento.

Goleada

Em algumas situações a atual gestão tem ‘jogado para a torcida’ em Toledo. O problema é o que time está perdendo de goleada e uma boa parte da torcida está se irritando, sem falar nas parcela que ou está doente ou está morrendo.

Deuses

Ao contrário do que pregam alguns ‘deuses’ e ‘deusas’ por aí, não será apenas o chamado tratamento precoce que salvará o mundo, até porque nem entre a classe médica há consenso quanto ao tema. É preciso um conjunto de ações corretas, caminhando numa direção única e não os absurdos registrados recentemente em Toledo.

COE

Por essas e outras é que questiono: por onde andam os integrantes do Centro de Operações Emergenciais (COE)? Será que ninguém mais está sendo ouvido? Será que o COE, tão ativo na gestão passada, se acovardou?

Liberou geral

Para quem não se lembra, quando aqui foi criticada a decisão de liberar tudo nos feriados e datas comemorativas, muita gente torceu o nariz. Pois bem, o resultado aí está. E a situação vai piorar ainda mais, infelizmente.

Mantra

O castigo está vindo agora das decisões sob o mantra da ‘Liberdade com Responsabilidade’ que o prefeito Beto Lunitti, o vice Ademar Dorfschmidt e seus súditos tentam desde o início da atual gestão defender, mas que na prática está cobrando um preço altíssimo e o comunicado dessa semana é a pá de cal sobre uma situação gravíssima. E vergonhosa!

Aniversário

Tão vergonhoso quanto isso é comemorar o aniversário de uma secretária, na casa de outro secretário – ambos de alto coturno dentro da atual gestão, reunindo 23 pessoas na noite do último dia 27 de maio. E segue o baile! Com direito a churrasco, mimos e outras ‘cositas’.